Sobre o blog…

Surgiu como uma necessidade natural de desafogar a área de Filosofia do blog "Debata, Desvende e Divulgue!", o principal blog da "Rede DDD". Melhor explicando: antes de se transformar em "rede", o blog "Debata, Desvende e Divulgue!" concentrava, como ainda concentra, todos os assuntos das áreas de nosso interesse: filosofia, religião, ateísmo, ceticismo, política, economia, ecologia, internet, tecnologia, ciências, literatura, mistérios da humanidade e atualidades.

Com o tempo, o número de posts em determinadas categorias aumentou consideravelmente, bem como o número de acessos e comentários, deixando clara a necessidade de remanejar algumas delas para outros sites da rede DDD, sem no entanto, perder-se a unidade e finalidade do blog principal. E assim surgiu a "Rede DDD", que já existia, de fato, mas não oficialmentre. Paralelamente à criação da rede e até mesmo antes dela tornar-se realidade, foram sendo criados os outros sites, por áreas do conhecimento humano, conforme exemplificado abaixo:

ÁREA                                                                 SITE

  • Política                                                 Rede "Observatório Político Brasileiro"
  • Ecologia                                               Fórum "Debatendo a Ecologia…" (*1)
  • Notícias políticas                               Brasil, Tomografia Política
  • Religião, Ateísmo e Ceticismo       Rede "Irreligiosos"
  • Tecnologia e Ciência                        DDD – Tecnologia & Ciência
  • Filosofia                                                Botequim Filosófico Virtual 
  • Debates                                                Debata, Desvende e Divulgue!
  • Opinião e Notícias                              Formou? Disseca e Publica!
  • Literatura (blog literário)                   Vida Escanea da
  • Literatura (autoral)                            Temas Instigantes 
     

O Botequim Filosófico Virtual foi o penúltimo dos sites a ser criado ( o último foi o "DDD – Tecnologia e Ciência"), com a finalidade de dar maior abrangência à área de filosofia.  que possui um campo muito vasto e que poderia ficar prejudicada e muito limitada, se existente apenas como uma categoria do blog principal. Eis aí a explicação.

(*1) – Mudando de endereço e em reestruturação

Sobre o autor…

Bem, aqui a coisa complica um pouco. Falar sobre si mesmo, ser autobiográfico, é algo que não me agrada muito. Ao fazer isto, é natural que até inconscientemente se cometam falhas porque passamos uma visão de "dentro para fora" e não de "fora para dentro", como seria desejável. Mesmo assim, vou tentar resumidamente, dar uma pálida ideia de quem sou, o que me move a escrever e ser blogueiro e, principalmente, uma noção da minha personalidade.

Profissionalmente, sou auditor fiscal da receita, aposentado, administrador de empresas, webdesigner, consultor empresarial independente, colaborador em jornais e revistas virtuais e "ghost writer", quando o tempo me permite. Assim tenho me definido na maioria dos meus sites:

"Apenas um livre-pensador ecletista, agnóstico, ambientalista de coração e de carteirinha, filósofo de rua e de boteco, um libertário cidadão do mundo, à procura de vozes que queiram fazer coro contra a exploração e escravidão religiosa dos incautos, contra a corrupção na política, contra a exploração do povo pelo Estado e contra a devastação da natureza. Minhas armas e ferramentas: meus pares ideológicos e os locais onde nossos protestos e mensagens possam ser divulgados e ouvidos."

Como pode ser notado, escrevo por idealismo, por acreditar que possa promover algumas mudanças nas mentes das pessoas e conseguir aliados para esta missão. Não suporto ver o Estado, a Religião e o Poder Econômico  enganando, controlando e roubando o povo; causa-me indignação ver o planeta sendo destruído por atitudes ambientais irresponsaveis dos governantes do mundo, movidos pelo desejo de lucro. Finalmente, ver grassar a impunidade dos usurpadores e destruidores do planeta e da humanidade, aqueles que promovem a miséria, as desigualdades sociais, a guerra  e a exaustão dos recursos naturais necessários à sobrevivência. Sentir tudo isso, saber que somos enganados todos os dias e ficar calado, seria ser conivente por omissão. Por isso, mesmo sem saber se conseguirei algum êxito, solto a minha voz, tendo a internet como principal aliada. Pelo menos assim, posso ficar em paz com a minha consciência e dizer: "Eu protestei e tentei alertar!"

Acho que é mais ou menos isso. Quanto à minha personalidade, reconheço que sou mal-humorado, por tudo isso que acabei de relatar. Mas não é um mau humor constante e sim, apenas predominante. Como ser bem-humorado diante de tudo o que vemos no nosso dia-a-dia? Para não pirar, tiro uns momentos de descanso e, nessas horas, passo a exibir o meu bom-humor. Sim, ele também existe, mas para manifestar-se, eu tenho de parar de pensar sobre o que está errado na humanidade e sobre a mídia que nos fornece informações distorcidas, quase sempre para nos induzir ao erro, à letargia ou ao sucídio econômico, protegendo os "donos do mundo". Se começar a refletir demais, o bom humor não vem.

Por isso, quando estou "in love" ou num bate-papo descontraído entre amigos, converso sobre amenidades e evito as reflexões.  Faço isto para manter o equilíbrio, ser feliz , poder rir, sentir e proporcionar felicidade por alguns momentos. Falar sobre coisas sérias e refletir sobre o comportamento humano me leva irremediavelmente para o mau humor, o sarcasmo, a ironia, o pessimismo e a indignação. Enxergo e tenho consciência de como as coisas são, mas não consigo aceitá-las como são.

Resumindo: tento ser otimista e bem-humorado, mas para chegar lá, necessito ver e sentir mudanças comportamentais internas e externas. As internas, consigo controlar, mas as externas, as que dependem de outros… não sei, não sei. Talvez morra tentando.

Compartilhar enviando para:
  • Print
  • email
  • del.icio.us
  • Technorati
  • MySpace
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Digg
  • Live
  • Yahoo! Bookmarks
  • Add to favorites
  • RSS