O PERIGO QUE NOS RONDA

28/12/2008
by Antidio Teixeira

                                                         (Antídio S.P. Teixeira)

É necessário que toda a humanidade seja conscientizada de que o estilo de vida fantasiosa,  irresponsável e ignorante com relação ao meio ambiente, implantado em nossa cultura pelo sistema econômico dominante do mundo, tornou-se inviável. Isso porque nos incentivaram a consumir muito além do que necessitamos para viver e o que o nosso planeta tem a oferecer, levando ao esgotamento das fontes energéticas e de matérias primas da Terra; poluíram o meio ambiente envenenando o solo, os lençóis de água e o ar; e ainda, desequilibraram a cobertura atmosférica, criando o famigerado “buraco” na camada protetora de ozônio que ainda, estão fazendo crescer na direção dos trópicos, causa básica das diversas catástrofes que vêm ocorrendo no mundo, cujos prejuízos contabilizados, são rateados entre todos os povos participantes do sistema de econômia globalizada.
 
 Microorganismos que dão início à cadeia alimentar, tanto em terra como em lagoas, rios e mares, estão sendo dizimados pela poluíção e pelos raios ultravioletas. Em conseqüência, peixes e crustáceos, sem alimentos, se desnorteiam e tentam migrar em busca de novas condições de sobrevivência, terminando em suicídio coletivo, atirando-se nas praias. Chuvas torrenciais devastam lavouras, instalações rurais e máquinas agrícolas, assim como cidades, alternando-se com secas, também responsáveis por prejuízos nas lavouras, e incêndios florestais incontroláveis. Tudo mostra que estamos caminhando para a fome, e dela, para um conflito social global de proporções nunca antes imaginadas.[…]
 
Ensinaram-nos que, tendo dinheiro, teremos tudo que desejamos. Não é bem assim porque, muito do que já possuímos, não podemos nos utilizar com tranqüilidade tendo em vista a insegurança causada pela má distribuição de rendas na forma de trabalho, educação, saúde e bem-estar social em todo o mundo.
 
                       E PODERÁ ACONTECER?
 
A baixa produtividade agropecuária que encarece os produtos alimentícios nos países ricos, aqueles que estão armados  até os dentes para defender os interesses de seus povos, os levam a importar cada vez mais alimentos dos países pobres e/ou em desenvolvimento, pagando altos preços  em moedas inflacionadas, ou cobrando elevados impostos de importação, deixando à mercê da fome os povos produtores. A disputa entre eles por melhores e maiores fornecedores, poderá deflagrar a 3ª guerra mundial e atômica que, sem dúvidas, varrerá a vida na Terra.
 
                        O QUE VOCÊ PODE FAZER?
 
Crie um movimento anticonsumista ou engaje-se em algum já em funcionamento. Informe-se, para saber informar, a causa básica do desequilíbrio sócio-econômico-ambiental para que todos entendam e saibam explicar. Incentive as pessoas a economizar tudo que for possível, e a consumir, apenas, o que for, realmente, essencial à vida e ao bem-estar natural; e ainda, eliminar todo consumo que for supérfluo e doarem para recicladores tudo aquilo que não lhes for útil.
                                      POR QUÊ?
 
A mídia, a fim de proteger os interesses dos governos e empresas que a mantém, omite de veículos de divulgação que: “para se produzir cada bem que consumimos ou nos utilizamos, algumas formas de energia como a luminosa, a elétrica, a térmica ou a dinâmica, são consumidas em várias partes do mundo e, também, para embalagens, conservação, transporte, etc.; e ainda, nos eletrônicos, eletrodomésticos, máquinas e veículos, continuamos consumindo outras tantas formas de energia para fazê-los funcionar”. E, para gerar toda a energia necessária para manter o consumismo no mundo, lançam, cada vez mais, poluentes no meio ambiente, agravando a situação global. Portanto, tudo que for economizado, economiza, também, energia e preserva o meio ambiente e as condições de vida para os mais jovens, adolescentes crianças e os que estarão por vir neste Planeta Terra.  
 
NOTA: “se você entendeu a gravidade da denúncia e quiser, pode e deve, reproduzi-la nesta lingua, ou traduzi-la em qualquer outra e divulgar, preservando a fidelidade e a autoria da mesma.      
Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

1 Comentário

  • Gomide disse:

    Consumismo é o vício de consumir. Consumir (no sentido a que nos referimos, o competente articulista Antídio e nós) é a compulsão de comprar. Eis aí o verbo chave: comprar. Ora, não há comprar sem vender.
    A quem interessa vender, que gera lucro e satisfaz à ganância? Nesse rumo de pesquisa, vamos dar de testa com a estrutura civilizacional reinante, fundamentada no complexo indústria-comércio. Como estamos numa época de drogas, consumismo do supérfluo passa à categoria de mais uma droga. Alucinante, alienante, inconsciente, desintegrante. Certa vez, presenciamos o encontro, pela manhã e na hora de abertura do comércio, de duas amigas. Depois dos cumprimentos, uma delas proferiu uma frase que até hoje ressoa em meus ouvidos: “Ai, ai. Até nem sei o que eu vou comprar hoje!” Temos de combater o consumismo supérfluo de todas as formas. Esse hábito, moda, necessidade psiquica, vício, droga, irracionalidade, é um elo que liga a pujança do sistema econômico ao combalido recurso natural do planeta. É a espinha dorsal da arquitetura civilizacional desenvolvimentista, tão maléfica quanto enganadora.

Deixe uma resposta