Vilões da Amazônia – Problema de Gestão?

21/10/2007
by Ivo S. G. Reis

Os principais vilões que devastam a amazônia legal, já foram identificados e são conhecidos por todos. Vamos especificá-los:

1 – AS MADEIREIRAS – Com suas moto-serras e outros

 
DesmatMadRioa180

sofisticadíssimos equipamentos de devastação, como tratores, robôs lenhadores, serras circulares tratorizadas, etc., fazem a derrubada das árvores numa velocidade espantosa, podendo deixar “careca” áreas do tamanho de uma cidade. As moto-serras, vendidas e usadas praticamente sem controle do Governo (embora exista uma lei para controlar o seu uso), facilitam o trabalho porque cortam árvores com extrema facilidade, como se estivessem cortando queijos. Dados do ano de 2005, revelavam que já existiam mais de 3000 empresas madeireiras cortando árvores naquela região, em sua maioria (pasmem!) autorizadas pelo Governo (???)[…]

Desmatamento na Amazônia

2 – AS QUEIMADAS – Estas são promovidas pelos pecuaristas (para a formação de pastaens) e  pelos agricultores, com o objetivo de, a baixo custo, “limpar áreas de terra” para o plantio, principalmente de soja, cultura que agora está em moda naquela região. Mas, para “limpar” o terreno, eles não usam apenas o fogo. Usa-se também os temíveis “correntões” (correntes de navio ligadas a dois poderosos tratores que “arrastam toda a vegetação que encontram pela frente). Só os agricultores já dizimaram cerca de 12% da Amazônia (dados de 2005), com a soja avançando sobre antigas pastagens. O que acontece? Num primeiro momento, a terra fica “careca”. A seguir, a vegetação nativa, já inexistente, é substituída pela soja ou outro tipo de plantio agrícola. Em futuro bem próximo, provavelmente predominará a cultura da cana-de-açúcar. A vegetação original? Foi-se para sempre. É uma drástica alteração forçada do meio ambiente, com conseqüências danosas para os ecossistemas da região. Além dos prejuízos causados à natureza, estima-se que os prejuízos causados pelas queimadas cheguem a 121 milhões de dólares, por ano, sem considerar o custo para reparar os danos causados pela emissão de carbono.

3 – A POLUIÇÃO DOS RIOS – Aqui os vilões são os garimpos, em sua maioria clandestinos, que despejam na água metais tóxicos como o mercúrio, poluindo rios e nascentes, matando os peixes e alterando também o meio ambiente. Os garimpeiros também foram os responsáveis pela introdução da aids entre os indígenas.

4 – CONTRABANDO DE ANIMAIS SILVESTRES E DA FLORA LOCAL – Diminui as espécies e impede que se reproduzam corretamente, podendo causar a extinção definitiva de algumas, já consideradas em fase de extinção. Quanto à flora, podem destruir o seu habitat natural, antes mesmo que alguns espécimens sejam catalogados pela ciência.. De todos, este é o cime ambiental menos controlado.

5 – CORRUPÇÃO NA CONCESSÃO DE LICENÇAS AMBIENTAIS – Este é um outro fator preocupante porque impede ao Governo de fiscalizar corretamente o que, de fato, ocorre na região. Comprovou-se a existência de vários funcionários do IBAMA concedendo falsas licenças ambientais, permitindo, assim a exploração ilegal da floresta amazônica. O produto da arrecadação das poucas multas aplicadas também costuma ser desviado e apenas uma ínfima parcela chega aos cofres do IBAMA.

6 – OS SEM TERRAS – Os mais recentes vilões da Amazônia começaram a migrar para aquela região há cerca de trinta anos e, nesse período,  já foram responsáveis pela devastação de 106.000 quilômetros quadrados de mata  (Revista Exame – 19/05/2007). O problema acentuou-se na primeira gestão do Governo Lula que, através do INCRA, assentou 188.000 famílias na Região Norte e em parte do Estado de Mato Grosso, toda essa massa ocupando hoje 27.6 milhões de hectares de terras, uma área quase equivalente à do Estado do Rio Grande do Sul. Pela falta de controle do Governo, a primeira coisa que os Sem-terras fizeram foi desmatar as suas respectivas áreas para a retirada de madeira, como forma de sobrevivência. O impacto ambiental não chamava a atenção por encontrar-se em pequenas áreas dispersas, não contíguas. Mas hoje e com a “venda” de suas áreas para as madeireiras”, o impacto já se faz sentir e é bem visível em fotos aéreas. E eles, incentivados pelo próprio Governo, continuam migrando para lá. O que vai acontecer no futuro?

Pois bem, aí estão citados os principais vilões e os estragos que eles causam. A pergunta que incomoda à nação é: “Será que o Governo não sabe disso?”. É evidente que sabe. “Mas se sabe, porque não faz alguma coisa? Por exemplo, controlar rigidamente a venda e o uso das moto-serras, tal como se faz com as armas de fogo , e impor pesadas multas e penas de privação de liberdade para os infratores, seria difícil?”.

Eu, você e todos os brasileiros achamos que não. Mas isso, só o Governo, através do seu Ministério do Meio Ambiente, pode (e deveria) responder.

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

13 Comentários

  • SempreAlerta disse:

    É profundamente lamentável que as autoridades brasileiras não estejam enxergando isso. Aliás, corrigindo: estejam fazendo vistas grossas com relação a isso (porque enxergando, eles estão).

    Os estragos causados pelos desmatamentos são conhecidos por qualquer pessoa medianamente informada. Se o Governo não toma providências só pode ser porque está sendo comprado pelos interessados.

    Seria tão difícil assim controlar o uso pernicioso e indiscriminado das moto-serras?

    Seria difícil policiar e controlar as queimadas? Eu não acredito.

    Para mim aí tem coisa suja. Muito suja.

  • Santaum disse:

    O Meio ambiente é o assunto da moda. É a nossa grande preocupação moderna. Alguns até dizem que é o grande desafio da nossa geração.

    A questão da Amazônia é interessante. Ela é uma floresta estável. Digo estável porque ela não está mais em crescimento, com excessão das áreas desmatadas. Dessa forma, podemos fazer duas comparações: uma com floresta estável, e outra com floresta em crescimento. Com relação a esta última, se considerarmos que esta seja um sistema aberto, há de se concordar que ela absorve carbono, principalmente devido ao crescimento das árvores. E um dos contribuintes para o crescimento dessas plantas é o próprio CO2 atmosférico (consideremos as vizinhanças). Já, na primeira situação, por se tratar de uma condição estável, não absorve tanto carbono assim.

    Além desses dois tipos de floresta, podemos avaliar o consumo de carbono de várias maneiras. Uma dela é a emissão natural de metano. A outra é o desmatamento. Quanto a este último, temos duas situações, como você excelentemente citou no seu texto: Queimadas e o uso da madeira, seja indevido ou não. Se fizermos a mesma consideração anterior, somente a madeira queimada iria transferir os carbonos da floresta, na forma de CO2. Já o outro caso não. Mas é aí que tá o problema. Essas madeiras geralmente são de lei e demoram dezenas de anos para chegar na fase adulta, apesar de, ao longo do seu crescimento, absorver carbono. Além disso, ninguém ali está preocupado em plantar novamente a árvore que cortou, que em termos de balanço de carbono, seria uma alternativa excelente de minimizar o teor na atmosfera e maximizar nesse sistema aberto.

    Caríssimo Ivo Reis, novamente parabéns pelo seu blog.

  • Administrator disse:

    Para Santaum, sobre sua resposta para “Vilões da Amazônia”:

    Parabéns, Santaum. É de comentários do nível do seu que precisamos aqui neste blog. Aliás, quero convidá-lo a não se limitar apenas aos comentários, mas também a postar quantos artigos quiser. Para isto, você que também é blogueiro, sabe: “é preciso se registrar, com um nome de usuário e senha” – nada mais.

    Fazendo isto, você poderá não apenas comentar, mas também postar artigos, o que muito nos honrará.

    Pretendo visitá-lo em seu blog e também deixar alguns comentários. Estou selecionando e aumentando a equipe de comentaristas e articulistas do DDD e vou divulgar o seu blog.

    Obrigado pela participação. Revisite-nos! A união faz a força.

    Abraços!

  • Santaum disse:

    Realmente, muito obrigado pelas considerações.

  • Janete Santos disse:

    Olá, Ivo, parabéns pelo blog: excelentes informações e debates sobre ecologia…abrs, Janete Santos

  • Administrator disse:

    Obrigado, Janete. espero você em nosso fórum “Debatendo a Ecologia…”.

    Também poderemos nos encontrar lá no Usina de Letras. Vou ler os seus artigos.

    Ajude a nossa causa. Se, além dos ambientalistas a classe dos escritores também desse o seu apoio seria ótimo. Eles têm voz.

    Abração, querida!

  • Alice disse:

    Na questão dos sem-terras (já nem vou falar dos outros), isso só vem a confirmar o que todos estão vendo: O governo Lula ou foi irresponsável ou é incompetente. Como não prever que isso iria acontecer?

    Como incentivar a ida para a Amazônia, de famílias totalmente carente de recursos, despreparadas e sem qualquer escrúpulo quanto à conservação e proteção do meio ambiente? Acaso o Governo deu algum curso ou treinamento antes de fazer os assentamentos? E a Sra. Ministra do Meio Ambiente e o Ministro da Agricultura e Pecuária, por que não alertaram? Estão aí as conseqüências. Sem-terra é como formiga, aonde um vai, os outros vão atrás. Ao chegarem ao local destinado, consomem tudo o que podem e até o que não podem. Acorda, Brasil!

  • Administrator disse:

    Gostei da sua frase, Alice, “Sem-terra é como formiga, aonde um vai os outros vão atrás”. E de fato, a devastação que eles fazem quando chegam é igual às das formigas: vão cortando, derrubando e carregando tudo o que podem.

    Enquanto o Governo não achar um jeito de fixar esse povo ou estabelecer punições para os atos de vandalismo ambiental vai ser isso. mas acho que não podemos esperar isso do Governo Lula, porque ele é simpatizante dos sem-terras.

    Nem mesmo aqueles que praticam a pequena agricultura de subsistência são úteis porque, para plantar, eles também fazem as suas derrubadas e queimadas, devastando a natureza em vários focos espalhados (isso já foi visto em fotografias aéreas)

  • sonia disse:

    Olha na minha opinião,acho q nós não temos nada haver com o problema da Amazônia.
    Se os próprios moradores então desmatando,não somos nós q vamos melhorar.
    Se eles não então preocupados,não somos nós que devemos estar.
    O meio ambiente é sim importante,mais nós brasileiro e outras pessoas não se preocupa,e muito menos ajuda a melhorar neda.
    Por tanto Quem deve resolver os moradores e o governo.

  • ANtuanetta disse:

    You can ues Google for this post, it can be interesting.

  • Barry disse:

    Reading your blog I think different!

  • Ira disse:

    Very live blog, respect to author!

  • Fleersset disse:

    Теперь я скажу несколько слов о подводке к дичи молодой собаки и о ее стойке.(В работе собаки по дичи следует различать 4 момента (подразделения) ее работы:

    1 — поиск, длящийся до того момента, как собака начнет причуивать признаки присутствия дичи в доступном для ее чутья расстоянии;

    2 — потяжку — работа собаки, разбирающейся в донесшемся до нее запахе до момента окончательного определения ею наличия дичи; эта работа заканчивается

Deixe uma resposta