Tatiane, uma de nossas leitoras no site “Café Filosófico Virtual” e aqui deste blog, e que também é a coordenadora do evento, foi quem me enviou a notícia que, agora, repasso para nossos leitores, em especial para os paulistanos, amantes da filosofia e que também gostam de se atualizar e discutir os problemas sociais do Brasil.

Conhecer o que se passa na mente dos que vivem à margem da sociedade é importante para uma melhor compreensão do sentido da vida e do nosso papel na sociedade em que estamos inseridos. Saber o que essas pessoas pensam, qual a sua visão de mundo, e sem pertencer ao seu universo, exige que o entrevistador ganhe a confiança e a permissão do entrevistado. E foi isso que Marcos Prado fez quando da elaboração do premiado documentário, escolhendo para isso a mais autêntica e enigmática representante dessas pessoas – Estamira, uma mulher forte, que não se entrega ante as adversidades da vida e a enfrenta sozinha, de frente, sem sequer aceitar as migalhas de auxílio social que o Governo oferece.

Segue, abaixo, os dados do evento, fornecidos por seus coordenadores:[…]

########################################################

CloseEstamira_p.jpg

ESTAMIRA: O OLHAR QUE TUDO PODE VER

ENCONTRO FILOSÓFICO

No dia 23 de Novembro Fernando Cavalher e Arhan irão promover um Encontro Filosófico com a exibição do incrível documentário “Estamira”, do diretor Marcos Prado, com reflexões sobre os aspectos espirituais e filosóficos do filme, em um evento com rodadas de discussões e debates!

O filme, que já recebeu 23 prêmios, nacionais e internacionais, conta a história de uma mulher de mais de 60 anos que sofre de distúrbios e vive e trabalha há mais de 20 anos no Jardim Gramacho, aterro sanitário carioca.

São Paulo – dia 23/11/2008

Coordenadores: Fernando Cavalhere Arhan
Local: Flat La Residence Paulista
Alameda Jaú, 1606 / São Paulo
Ar condicionado; poltronas confortáveis; toda a infra-estrutura
para o seu bem-estar e melhor aproveitamento!

Reservas: (11) 3644.3090/ 9722.8214/ 8511.7136

mais informações:

tatiane.producao@gmail.com
www.arhan.com.br/estamira

 


FotosEstamira_Tira.jpg   

Fernando Cavalher e Arhan dirigem Estamira, o olhar que tudo pode ver Encontro Filosófico com reflexões e análises do rico discurso de Estamira.Estamira é louca. Tem até laudo médico.A médica psiquiatra concluiu assim por observar que Estamira tem “discurso místico”.O discurso místico de Estamira, sua loucura, manifesta-se por ela ter conhecimentos impressionantemente profundos de Psicologia e Filosofia, a “insana” discute e argumenta precisamente acerca de diversas escolas do pensamento humano.É forte, humana e polêmica. Arranha a moral com sua existência!Em sua loucura profere verdades terríveis, percebe intimamente a estrutura física e metafísica do cosmos, traça perfeitas análises psicológicas das pessoas que se lhe interpõem e diz tudo isso aos gritos para elas. Chocadíssimas, as pessoas de Deus, ouvindo as verdades sobre elas, escandalizam-se com estes “terríveis demônios” e rezam, lêem a Bíblia, tentando-os banir. Só ouvem, contudo, a terríveis gargalhadas da verdade, que ecoam, ecoam ecoam…

Depois de uma vida toda e sempre difícil, Estamira mora na extrema periferia do Rio de Janeiro, só não é favela porque não é morro, e passa a maior parte do tempo em um aterro sanitário, vulgo lixão.

Em que faculdade teria ela passado trinta anos para ter conhecimentos que a medicina levou décadas para descobrir e outros que Jung levou uma vida para perceber e que ainda hoje são postos cinicamente em dúvida?

Quem fez Deus foram os homens! – Não, não é Nietzsche quem está falando. Também não é Zaratustra. Não é o Anticristo. É Estamira… A mulher miserável que mora no lixão.

Não passa pela cabeça de Estamira se sentir vítima da sociedade, se sentir sem oportunidades, se sentir sem passado ou sem futuro.

Não passa pela cabeça de Estamira participar dos programas assistenciais do governo. Ela devolve os remédios ao posto de saúde.

Estamira sabe que é especial…

“Este astro aqui, Estamira, não vai mudar o ser”
Estamira, o astro, não vai mudar o ser. Não vai ceder o ser a nada. Ela diz, com auto-estima que não se encontra:Estamira, o astro, não vai mudar o ser. Não vai ceder o ser a nada. Ela diz, com auto-estima que não se encontra:Estamira, o astro, não vai mudar o ser. Não vai ceder o ser a nada. Ela diz, com auto-estima que não se encontra:

“EU SOU ESTAMIRA”
Estamira não vai mudar. É você que vai…

Você pode encarar o lixão…

“Ou pode pegar o seu Deus e ir pro céu, ir pro inferno, ir pro caralho…”.

A solução é o Fogo.

########################################################################

 

Technorati : , , , , , , ,
Del.icio.us : , , , , , ,  

 

 

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

4 Comentários

  • Lucas disse:

    Não consigo ler!

    mt peqna a letra,.

  • Administrator disse:

    Ok, Lucas. O problema já foi corrigido.

  • Maria Cristina disse:

    Estamira tem um super superego

  • Sobre este assunto, vejam, abaixo, o comentário que me foi enviado por um dos meus colegas do Grupo de Discussões Secularismo”, após assistir ao documentário:

    Olá, caros companheiros virtuais!
    Assisti hoje e recomendo o documentário “Estamira”, que conta a história de
    uma mulher (a Sra. Estamira, naturalmente…) que vive de catar lixo no
    aterro sanitário Gramacho, no Rio de Janiero. A história da vida dessa
    mulher é uma sucessão de misérias que desemboca no grau mais raso da
    condição psíquica e social humana. E por que diacho eu estou fazendo essa
    sugestão aqui, nesses grupos de discussão? Porque há várias passagens muito
    interessantes sobre a relação que essa mulher mantém com o divino. Ao
    contrário do que se pode pensar, ela não se apega à esperança de uma
    sobrevida melhor e mais justa, como a maioria esmagadora das pessoas
    expostas à miséria fazem. A frustração e a violência a que foi submetida
    durante a vida a levaram não a desacreditar de Deus, mas a odiá-lo, e em
    meio à insânia furiosa que se segue quando alguém pronuncia a palavra “Deus”
    perto dela, muita sabedoria brota da dessa mulher.
    Abraço.


    Danilo Gavião

Deixe uma resposta