A Igreja Universal do Reino de Deus, a  maior dentre as evangélicas neopentecostais brasileiras, com filiais em 172 países e mais de 8 milhões de fiéis no Brasil, vê-se novamente envolvida em outro escândalo, patrocinado por Edir Macedo,  seu fundador e principal líder religioso. A acusação, que já se tornou pública e circula na mídia, envolve formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, charlatanismo, desvio de finalidade e aquisição ilegal de imóveis e bens patrimoniais.

A notícia, extraída do site Yahoo! Notícias, vem confirmar o que temos insistentemente denunciado nos sites que compõem a rede DDD (Debata, Desvende e Divulgue!): que o agressivo marketing religioso evangélico, fundamentado em sua "teologia da prosperidade" é um proselitismo sustentado pela comercialização da fé, que passou a ser vendedora de sonhos de progresso social, salvação e curas milagrosas, explorando e enganando os fiéis. Para terem essa suposta "assistência religiosa", sofrem lavagens cerebrais constantes e são instados a contribuir com dízimos e doações para as suas igrejas, dinheiro que, depois de tirada uma pequena parte para o circo da assistência social e religiosa, é desviado para outras finalidades, indo parar nas contas particulares dos líderes.

Mas, pelo menos no Brasil, um país laico, o que mais incentiva essa prática é a proteção constitucional (liberdade de culto religioso e imunidade tributária dos templos religiosos) e outros dispositivos legais que, combinados, acabam levando à impunidade, tal qual ocorrem com os políticos, com os seus foros privilegiados e imunidades parlamentares. Quantos políticos e líderes religiosos foram presos e condenados aqui no Brasil?

Bem, a notícia está aí embaixo. Acompanhem todos os episódios a ela relacionada e depois busquem pelo resultado final. Das duas uma: ou os reús serão absolvidos ou os processos irão se arrastando, se arrastando, até caducarem e se extingüirem por decurso de prazo, igualzinho ao que acontece com os políticos. A palavra final ficará nas mãos do STF. E se for para lá e até chegar lá… Assim é no Brasil,

 

Edir Macedo e mais 9 viram réus por lavagem de dinheiro

Ter, 11 Ago, 08h06

 

A Justiça de São Paulo acatou ontem a denúncia contra o bispo Edir Macedo e outras nove pessoas ligadas à Igreja Universal do Reino de Deus por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), eles são acusados de integrarem um esquema envolvendo empresas de fachada, que remetia ao Exterior dinheiro obtido com doações de fiéis. Esse dinheiro, depositado em paraísos fiscais, voltava ao Brasil em forma de contratos de mútuo utilizados para a aquisição de empresas.

A acusação formal foi oferecida no último dia 5 pelo MPE, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) – Núcleo São Paulo, e recebida pelo juiz da 9ª Vara Criminal da Capital. Além de Edir Macedo, foram denunciados Alba Maria da Costa, Edilson da Conceição Gonzales, Honorilton Gonçalves da Costa, Jerônimo Alves Ferreira, João Batista Ramos da Silva, João Luís Dutra Leite, Maurício Albuquerque e Silva, Osvaldo Scriorilli e Veríssimo de Jesus.

De acordo com a denúncia, Edir Macedo e os demais acusados há cerca de 10 anos vêm se utilizando da igreja para a prática de fraudes. Durante as investigações, os promotores conseguiram localizar milhares de depósitos em dinheiro em favor da Igreja Universal. Somente no período entre março de 2003 a março de 2008, esses depósitos somaram R$ 3,9 bilhões, de acordo com o MPE.

Levantamento feito pelo MPE e pela Polícia Civil, com base em dados bancários e fiscais obtidos judicialmente, mostra que a Igreja Universal movimenta cerca de R$ 1,4 bilhão por ano no Brasil, dinheiro arrecadado por meio do pagamento de dízimo por seus milhares de fiéis espalhados por 4.500 templos, instalados em 1.500 cidades do País.

Dízimo

Na denúncia, o MPE destaca que Edir Macedo e outros bispos destinavam grande parte de sua pregação para a coleta do dízimo, enfatizando a necessidade de a igreja angariar recursos para a compra de óleos santos de Israel, o financiamento de novos templos e o pagamento de pregações nas rádios e TVs. A Universal aceitava cheques, carros e outros bens como doação.

Ainda segundo a denúncia, Edir Macedo e os outros denunciados se aproveitaram da imunidade tributária estabelecida pela Constituição para templos religiosos e passaram a utilizar a Igreja Universal para benefício próprio, captando os valores dos dízimos, ofertas e contribuições dos fiéis, investindo em bens particulares, como imóveis, veículos ou joias. Para os promotores, ficou comprovado que o dinheiro das doações, em vez de ser utilizado para a manutenção dos cultos, era desviado para atender a interesses particulares dos denunciados.

Fonte: Agência Estado/Yahoo Notícias (http://br.noticias.yahoo.com/s/11082009/25/manchetes-edir-macedo-9-viram-reus.html )

 

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

9 Comentários

  • ivancarlos disse:

    É, meu amigo, um dia a “casa cai”. Será que foi desta vez???

    Um forte abraço!

  • Infelizmente, companheiro Ivan Carlos, eu acho que ainda não. Ele é poderoso e “é amigo do rei”. Além disso, tem o poder de capitalizar, no mínimo, mais de 10 milhões de votos para o Governo. Possui também uma hoje poderosa rede de TV para trabalhar politicamente para os seus aliados.

    Esse cara só cai se forem divulgados sucessivos escândalos contra ele e a sua organização. Aí sim. Talvez, talvez…

  • Mr. Spock disse:

    Na verdade Ivo, ele só cai com uma bala na testa!

    Só no “Maracanã do Bispo” (super-templo na Zona Norte do Rio) chegam 5 carros-forte por dia, devidamente escoltados pela PM, descarregando a coleta das filiais espalhadas pelo Estado. É grana pra comprar qualquer Ministro do STF, Senador, Deputado, Juiz… e até pra comprar a Presidência da República (projeto pessoal do “Bispo”).

    E aquela bala não está tão longe asssim…lembram-se do PC Farias?
    Pois é… quem brinca com fogo faz pipi na cama. 😀

    “Carlos Magno de Miranda era um dos líderes da Igreja Universal. Ele relatou os detalhes de sua ida a Medellín, para receber dinheiro dos narcotraficantes colombianos. Um mensageiro entregou-lhes 450 000 dólares. As mulheres dos pastores esconderam o dinheiro nas calcinhas”

    http://veja.abril.com.br/blog/mainardi/na-revista/o-dizimo-do-trafico/

  • Júlio de Sanctis Gonçalves disse:

    Se conseguirem colocar o Edir atrás das grades (eu disse “SE”, pq duvido), os crentes farão uma revolução social e o tirarão de lá, pela intimidação. E antes disso, dentre os que forem contra “O Bispo”, muitas cabeças vão rolar.

    O dia em que eu conseguir ver um Edir Macedo, um Gilmar Mendes, um Daniel Dantas, um Sarney ou um Renan na cadeia, aí talvez acredite que o país está ficando sério e começando a tomar jeito. Concordo com o Sr. Spock aí de cima: esse cara só cai quando tiver de virar “arquivo morto”.

  • KLEBER RAMÍREZ disse:

    Prezados senhores,
    Uma das coisas que admiro neste blog, é a nossa liberdade de expressão, julgando as coisas pelo que vimos e ouvimos.
    Isto é natural do ser – humano.
    Sempre li neste blog, que o autor do mesmo informou que este mesmo é estritamente democrático.
    Não sou membro da Igreja Universal do Reino de Deus. Sou membro de outra denominação evangélica. Não tenho o líder da IURD como senhor, e muito menos o pastor da minha congregação.
    Também não sou advogado nem do Sr. Edir e sua Igreja.
    Tenho a bíblia, que é palavra de Deus como manual de vida e JESUS CRISTO como SENHOR e salvador da minha vida.
    Concordo que o que estiver de errado deve ser revelado, corrigido e julgado.
    Agora, senhores, vamos ao que interessa.
    Na REDE RECORD, no dia 16/08/2009, apartir das 20h00min hs, no programa denominado “REPORTER RECORD”, foi exibido ao telespectador, uma história de outra organização denominada “REDE GLOBO”.
    Sabendo desde já, que existe uma seriedade por parte do autor, e também sabendo que não existe nenhum preconceito contra os evangélicos, tanto da parte do mesmo e dos demais colaboradores, como: Ivan Carlos, Mr. Spock, Júlio de Sanctis Gonçalves, Antídio Teixeira, Gomide, e espero de outras pessoas, pergunto:
    1 – Vocês assistiram ao referido programa?
    2 – Se a resposta for sim, será colocada alguma matéria a esse respeito neste blog?
    Faço este comentário, porque nos outros post relacionados à religião, falaram muito sobre os evangélicos.
    No aguardo de qualquer esclarecimento.
    Um abraço.
    Que Deus abençoe vocês e suas famílias.
    KLEBER RAMÍREZ

  • Kleber:

    Aqui, quando damos uma informação, queremos que ela seja completa, sempre que possível. Quando este artigo foi publicado ainda não tínhamos o acesso ao vídeo da TV Record. Mas 2 dias depois, quando conseguimos o vídeo, publicamos um outro artigo no nosso blog coirmão, o “Formou? Disseca e Publica!” mostrando os dois vídeos: o da Globo e o da TV Record, ambos na íntegra.

    Como vocês quase não visitam o outro blog, atendendo ao seu pedido, resolvi republicar o post aqui (na mesma página deste). Acho que ele atende à sua reivindicação e responde às suas dúvidas. Cabe a você saber avaliar. Comente aquela outra matéria, se tiver algo a dizer, contra ou a favor.

    Abraços!

  • ivancarlos disse:

    Olá, KLEBER

    Eu assisti ao programa que você se referiu. Perdi meu tempo!! Imaginei que o Sr. Bispo iria explicar aos seus colaboradores que ‘não se utilizou do dinheiro das “ofertas” e dízimos’ para adquirir empresas, dentre elas a Record; pois é disso que ele está sendo denunciado, dentre outras coisas. No entanto, o Bispo nada disse a respeito, nem sequer negou com a veemência que se poderia esperar de alguém acusado por crimes que não cometeu.
    O programa preocupou-se mais em acusar a Globo do que tentar mostrar a inocência do Bispo; limitou-se a mostrar fatos históricos negativos da Rede Globo, “falcatruas” mesmo!! Porém, jornalisticamente de pouco proveito. Nada mostrou de novidade sobre os conhecidos “favorecimentos” obtidos pela Globo perante o governo brasileiro… mas isso é outro assunto, não é?
    Kleber, meu amigo, “oito bilhões” é muito dinheiro para ser explicada toda a sua destinação num programa de televisão. Melhor que a justiça cuide disso, não é mesmo? A reportagem ainda tentou desqualificar a Juíza e o Promotor do caso… sei não, se foi uma boa estratégia.
    Sinceramente, Kleber, não detenho nenhum tipo de sentimento por esse cidadão; mas se tivesse uma bolsa de apostas, eu apostaria que desta vez ele se “ferrou”. (imagino que vc diga amém!)

    Abraços.

  • KLEBER RAMÍREZ disse:

    Bom cada um colhe daquilo que semeia não é mesmo?
    Que a justiça seja feita.
    Um grande abraço.

  • Abdo Mucci de Mattos disse:

    Sou professor e já vi alunos caírem na cilada da IURD. Nenhum deles foi abençoado materialmente. Ao contrário, perderam tudo e hoje vivem de favor.
    Estive na IURD por algum tempo. Caí fora quando notei que estavam tentando me extorquir.

Deixe uma resposta