Reino do BrasilNem é preciso colocarmos aqueles narizes de palhaços para que nos identifiquemos. Se o fizéssemos, seríamos apenas alguns, quando na realidade somos todos, excetuando o poder dominante. "Eles" já sabem quem somos e nem precisamos fazer micagens para que se riam de nós. Mas quem são "Eles"? "Eles" são a Corte (Governo, políticos, banqueiros, grandes empresários, conglomerados econômicos nacionais e internacionais) de um reino chamado Brasil.

Pensam que somos uma república democrática? Uma ova! Não nos enquadramos na definição do que seja uma democracia que, aqui, é mesmo de fachada, só existindo no papel. Sim, está escrito no artigo 1º da nossa constituição : " A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito". Mas e daí? Quantas coisas existem na CF e que lá só estão para dar uma aparência de seriedade e legalidade?

Não, não se espantem, mas o Brasil está mais para reino (e nós para bobos da corte) do que para uma república democrática. Então, seríamos uma república democrática no papel e um reinado na prática, sendo um, o inverso do outro, ou seja: o que está escrito que é, não é; o que não está escrito que é, é. Este jogo de palavras é intencional, para forçá-los a pensar. Não somos de direito, mas somos de fato um reino; mas não um reino convencional, e sim , um daqueles onde impera a tirania e a cleptocracia; um reino com uma maioria esmagadora de escravos trabalhando para Corte, que lhes toma 85% de tudo o que produzem, deixando-lhes uns míseros 15% para a sua sobrevivência.

Para entenderem melhor como isso acontece, vejam o slide show que adaptei depois de recebê-lo de um dos mais ilustres colaboradores deste blog, o colega e ambientalista Antídio Teixeira:

Clique aqui para conhecer o Reino do Brasil e saber como fomos transformados em "bobos da corte" (pare o mouse sobre a imagem, para ler o inteiro conteúdo do slide! Ao retirar, a exibição normal prosseguirá).


Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

4 Comentários

  • mgomide3 disse:

    Essa apresentação parece jocosa, caricatural, mas é a pura realidade. Não parece, mas infelizmente é. Basta examinar os dados apresentados e exercitar um pouco o raciocínio.
    Vejamos algumas considerações. Um empregado de uma empresa ganha, hipoteticamente, 2.000,00 por mês. Praticamente, todas as compras que ele efetua no período, não são exatamente somente compras: ele está pagando um sapato e mais o imposto do sapato. Na parte de pagamento do sapato, considere-se que esse objeto vem com preço constituído de couro e impostos; tinta e impostos; embalagem e impostos; solado de borracha e impostos. Os que venderam a matéria prima para o fabricante de sapatos, venderam: couro curtido e impostos; componentes químicos da tinta e impostos; papel e impostos; borracha vulcanizada e impostos. O dono do boi, quando o abateu, vendeu o couro cru para o curtume e impostos; a indústria primária vendeu material químico bruto e impostos; o desmatador vendeu celulose (árvores) e impostos; o seringueiro vendeu a borracha pura e impostos. Quer dizer: o nosso herói, nesse casa específico, comprou impostos e o sapato. O preço do sapato, em si, é insignificante.
    Ele não comprou só sapato. Gastou todo o seu dinheiro comprando impostos e mais alguma coisinha. Por isso, o governo tem tanto interesse em que o povo compre. Comprando, está consumindo e sustentando a Côrte Real.

  • É exatamente isso, Gomide. Pena que o povão não saiba fazer contas e continue permitindo. Pagar um imposto elevado, mas ter retorno em obras sociais ainda é admissível, como nos países baixos, onde se paga muito, mas o retorno em qualidade de vida para a população é altíssimo. Mas no Brasil? Somos bobos da coirte mesmo. Nós, os classe média, que é quem suporta toda a carga e carrega o país nas costas.

    E, para pior, ainda temos de nos esforçar para deixar todos felizes, como verdadeiros “bobos da corte”.

  • Antídio S.P. Teixeira disse:

    GG:
    Muito bem esclarecido. Muita gente que não entende, assim poderá entender.
    Meu abraço e um bom início de samana.

  • fábio.g disse:

    Uma pergunta!Qual o credo politico de voces?
    E o que fazer?
    Obrigado!!

Deixe uma resposta