Conforme noticiado pelo Jornal Folha de São Paulo e vários outros órgãos de imprensa, no dia 25/06/2008, cerca de mil evangélicos, movidos talvez pelo seu conhecido fanatismo religioso e induzidos pelos seus respectivos líderes, fizeram uma manifestação diante do Congresso Nacional, para protestar contra a futura aprovação do projeto de lei conhecido como PLC 122/2006, que criminaliza o preconceito e a discriminação contra homossexuais.

Houve tentativa de invasão do prédio e princípio de tumulto generalizado no enfrentamento contra os seguranças da casa que tentavam impedir , a todo custo, mas sem violência, que o Senado fosse invadido, a exemplo do que fizeram os "Sem-Terras", em 2007. O temor dos evangélicos é de que, uma vez aprovada a lei, fique prejudicada a liberdade de expressão religiosa, que poderia penalizar o padre, ministro ou pastor que, em um sermão, por exemplo, falasse contra o homossexualismo.

Mas não são apenas os evangélicos os que se posicionam contra a chamada "lei anti-homofobia". […] Também os católicos, embora discretamente e sem manifestações ostensivas ou truculência, são contra a aprovação da referida lei. Os motivos alegados são os mesmos: "prejuízo à liberdade de expressão" e "apoio a desvios de conduta moral".

Essa é uma questão que merece a mais profunda reflexão. Não nos parece justo que alguém venha a perder seu emprego ou ser impedido de participar de uma religião, hospedar-se em determinados hotéis ou de pertencer a alguma entidade ou organização civil ou militar, pelo simples fato de ser gay, lésbica, travesti ou bissexual. Isso, de fato, precisa ser corrigido em nossa constituição. Mas há que se tomar cuidado com os excessos e pensar muito bem a lei para que não se transforme em mais uma daqueleas leis que só existem no papel, as chamadas "leis que não pegam", e que só servirão para serem invocadas, com propósitos políticos.

Quanto ao ato dos evangélicos, é condenável e parece ser mais um daqueles casos relacionados com o seu conhecido "fanatismo religioso". Se não estão de acordo, que protestem, mas com civilidade, apresentando seus argumentos. Afinal, quais seriam os verdadeiros motivos da revolta dos evangélicos? Leiam, abaixo, a íntegra da notícia e avaliem os fatos e as conseqüências:

===========================================================

Folha, 26/06/2008

Evangélicos protestam contra lei anti-homofobia no Senado

Projeto aprovado na Câmara tramita na Comissão de Assuntos Sociais do Senado

Para os evangélicos, proposta impede a liberdade de expressão; se aprovado, eles não poderão condenar em cultos o ato homossexual DA SUCURSAL DE BRASÍLIA Um grupo formado por cerca de mil evangélicos tentou invadir ontem o Senado para protestar contra o projeto de lei que criminaliza a homofobia (rejeição ou aversão a homossexual e à homossexualidade). Houve empurra-empurra e discussões com os seguranças na entrada principal da Casa. O projeto já foi aprovado na Câmara dos Deputados e, no momento, tramita na Comissão de Assuntos Sociais do Senado. A senadora Fátima Cleide (PT-RO) foi nomeada relatora. Ela já se declarou a favor da proposta. Ontem, no momento em que os evangélicos tentaram entrar no Senado, ela discursava da tribuna da Casa. "Nosso maior desafio é reconhecer que somos uma sociedade plural, diversa. E, como tal, devemos cumprir nosso dever constitucional de criar mecanismos para combater qualquer forma de discriminação", disse a senadora petista De acordo com o texto do projeto, poderá haver pena de reclusão de dois a cinco anos para quem discriminar homossexuais. Para os evangélicos, o projeto impede a liberdade de expressão. Se aprovado, eles não poderão condenar em cultos o ato homossexual. Haverá punições também para quem demitir funcionários por causa da sua opção sexual. "Se um funcionário for dispensado de uma empresa, pode alegar homofobia e o dono da empresa vai ser preso por crime hediondo. Queremos um projeto para proteger todas as minorias", disse o deputado Bispo Rodovalho (DEM-DF), da Igreja Sara Nossa Terra. Deputados e senadores da frente parlamentar de defesa da família -integrada também por deputados católicos- ajudaram parte do grupo de manifestantes a entrar na presidência do Senado, onde foram recebidos por Magno Malta (PR-ES), que é evangélico. "Trata-se aqui de a pessoa ter liberdade de ser o que gostaria de ser. Se ela quer ser homossexual, que seja. Se quer se juntar com alguém, que se junte. Mas eu não preciso aceitar isso. Eu tenho minha opinião e não gostaria de ver meu filho recebendo educação que considero inadequada dentro de uma escola", disse Fadi Faraj, do Ministério da Fé, após a reunião. Pastores de diferentes igrejas evangélicas também visitaram gabinetes de senadores. Membro da Assembléia de Deus, o pastor Silas Malafaia visitou o gabinete de Alvaro Dias (PSDB-PR). Ele fez questão de gravar a entrega do manifesto contra o projeto ao congressista paranaense. [i] http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2606200818.htm

Talvez você também se interesse por estes artigos correlatos:

, , , , , , , , , , ,

Del.icio.us : , , , , , , , , , , ,

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

20 Comentários

  • Sacha Magdala disse:

    Tive duas amigas que eram lésbicas e nem por isso as discriminava. Tive colegas de faculdade gays e tratava-os com igualdade. Eram pessoas solícitas e maravilhosas e me respeitavam, a despeito de suas preferências sexuais, diferentes das minhas.

    Não vejo porque não possa haver uma convivência pacífica com essses tipos de pessoas. Sofrem uma discriminação até maior do que as pessoas de cor. Por que não podem ter uma lei parea protegê-las da discriminação? Só porque os pastores e os padres acham que poderão ser processados ao condenar o homossexualismo em seus sermões? Há muitas formas de contornar-se isso.

    Tudo que precisa ser feito é tão somente ter cuidado na redação da lei, para que não se permita que seja usada indevidamente, com má fé. E, para isso, basta um estudo maior e uma revisão cuidadosa no teor dos artigos e parágrafos da mesma.

    Acho que é só isso. Os evangélicos é que têm de deixar de serem hipócritas, pregando uma coisa e fazendo outra.

  • Leo Lima disse:

    É um absurdo que a igreja, seja ela católica ou evangélica, ainda se ache no direito de de ditar o que a sociedade deve ou não aceitar. A lei virá em boa hora, pois toda espécie de discriminação é abominável, as pessoas tem que entender que não concordar com a homosexualidade de quem quer que seja não dá o direito se intometer, pois o que se faz, se faz na esfera privada e não tem como ofender ninguém. Fanáticos religiosos sempre se acham no direito de querer reprimir tudo que não se encontra no livrinho mequetrefe deles e ainda se acham representantes de Deus (que afinal de contas parece não se importar com nada disso, pois ele mesmo não faz nada pra impedir).
    Apesar de tudo gostaria de deixar minha opinião: os homosexuais não deveriam se importar tanto com a igreja aceitá-los (algo que eu acho, dificilmente acontecerá), afinal pra que querer participar de uma religião que os condena somente porque foi a que seus pais disseram ser a certa? O melhor seria negar uma religião preconceituosa e um Deus ídem que afinal te fez assim mas quer que você mude senão o mandará para o inferno, porque te ama (BLARG). Eles ainda tem o disparato de dizer que amam o homosexual mas odeiam a prática, seria o mesmo que dizer: Nós amamos os negros mas odiamos a cor deles – mudou alguma coisa?

  • KLEBER RAMÍREZ disse:

    Bom dia Sacha Magdala e Léo Lima.

    Por favor, se puderem me respeondam:

    Independente de ser-mos religiosos, ateus ou céticos, por favor, se puderem me respondam:

    O que devemos combater?
    1 – A corrupção ou o corrúpto?
    2 – A mentira ou o mentiroso?
    3 – O homicídio ou o homicida?
    4 – O adultério ou o adúltero?
    5 – A bebida ou o bêbedo?

    Um forte abraço.

    Kleber Ramírez

  • ivancarlos disse:

    Quem já me conhece aqui do blog já sabe qual minha posição em relação às religiões. Mas para quem ainda não, gostaria de esclarecer meu posicionamento, até para uma melhor avaliação sobre o meu comentário em relação à matéria.

    Não sou seguidor de religião alguma. Do contrário, acho as religiões praticadas em templos um atraso e um empecilho na caminhada evolutiva da humanidade. Numa palavra: um verdadeiro mal para a liberdade humana. E como considero a liberdade, “vital”: posso até dizer que acho essas práticas religiosas um mal para a própria vida.
    Na minha opinião, portanto, nem deveriam ter sido “inventadas”; mas já que aí estão, deveriam ser proibidas, banidas, deveriam ser presos os seus responsáveis e condenados à pena máxima prevista no nosso Código Penal (mesmo assim não me satisfaria, pois as leis brasileiras não prevêem prisão perpétua!). ESSA É A MINHA OPINIÃO PESSOAL.

    No entanto, não existe nenhuma Lei contra isso tudo. Do contrário, existem sim, leis que os protegem contra qualquer tipo de DISCRIMINAÇÃO, ISENÇÃO DE IMPOSTOS, LIBERDADE DE CREDO e outros benefícios exclusivos. Chegando ao ponto daqueles dispositivos legais, “maquiarem” o charlatanismo, as próprias discriminações contra outros seguimentos da sociedade e outras formas de crimes, praticados e presentes naquelas instituições religiosas.
    Também não sou gay e nem tenho conhecimento de algum histórico familiar. Sou hetero. Mas até que me provem o contrário, não vejo nenhum crime que possa ser imputado a simples prática homossexual.
    Acho justo, portanto, que tais pessoas praticantes daquela opção sexual, tenham trânsito livre pela sociedade sem que sofram sequer, olhares maliciosos. Nem que para isso, tenha que ser criada uma Lei que os proteja. E os senhores mandatários das igrejas, podem ficar tranqüilos; o homossexualismo não é uma doença “contagiosa”.

    Um forte abraço a todos que possuem um coração humanitário e universal.

  • KLEBER RAMÍREZ disse:

    Sou evangélico, como todos já me conhecem.
    Não tenho nada contra os homossexuais, mas a prática do homosexualismo, não concordo.
    Conheço pessoas lésbicas e homossexuais e tenho um bom relacionamento.
    Tenho bastante diálogo com eles e até ajudo em bens materiais e financeiros.
    Amo eles, mas não concordo com a prática. Deus criou o macho e a fêmea.
    Opção sexual não existe.
    Mas cada um viva da forma que quer. Ninguém pode impedir a forma de viver de cada um.
    Como o nosso amigo Ivan, ele nos chama de preconceituosos, mas ele mesmo quer que exista uma Lei para prender os religiosos.
    Estou aguardando a resposta do comentário anterior.

    Um abraço.

    Kleber Ramírez

    P. S: Um erro moral não pode se tornar um direito civil.

  • ivancarlos disse:

    Kleber,

    Nos conhecemos “virtualmente”, já faz algum tempo, não é? Alguma vez me dirigi a você nos termos acima? Claro que não. Isto porque, por mais que você tente parecer igual à maioria dos crentes, você não é. Ainda bem, e torço para que continue assim.
    Mas você gosta de dar umas “desviadas” nos assuntos abordados para tornar o campo mais favorável a você. E mais uma vez não fugiu à regra.

    “COMO O NOSSO AMIGO IVAN, ELE NOS CHAMA DE PRECONCEITUOSOS, MAS ELE MESMO QUER QUE EXISTA UMA LEI PARA PRENDER OS RELIGIOSOS”.

    Basta ler com atenção ao meu comentário anterior, e ficará constatado que não escrevi isso que você descreve. Até porque, a meu modo, considero-me uma pessoa com alguma religiosidade.
    Referi-me às RELIGIÕES, PRÁTICAS RELIGIOSAS (da mesma forma que você se refere ao homossexualismo) e aos RESPONSÁVEIS OU MANDATÁRIOS disso tudo. Mesmo assim, serei mais objetivo: o papa, “donos” de igrejas, “espertalhões” da mídia religiosa, curandeiros, “donos” de terreiros, “donos” de centros espíritas, “donos” de entidades “filantrópicas” espíritas; além de pastores, padres, gurus, rabinos, médiuns, líderes muçulmanos e outros líderes que possa ter esquecido, que apesar de saberem de tudo o que acontece no interior de seus respectivos templos, são coniventes… cúmplices. A todos esses sim, vale o que escrevi.

    “UM ERRO MORAL NÃO PODE SE TORNAR UM DIREITO CIVIL.”

    Na minha opinião existem dois equívocos nessa sua assertiva.
    O homossexualismo já é um direito, a lei tratada na matéria, é justamente, para resguardar esse direito contra as discriminações.
    Erro moral? Na sua opinião pessoal…! Aqui mesmo no blog, percebe-se que a maioria não pensa assim. E tudo aquilo que é aceito por uma maioria não praticante, portanto com opinião isenta, não deve ser considerado imoral.

    Um forte abraço!

  • Kleber:

    Você está começando a ficar “craque” na arte de debater. É liso como uma enguia, distorce o que os adversários falam e leva para outro território, mais favorável a você. Isto é até inteligente, mas não é honesto. Se depender do treinamento que está tendo aqui conosco, você poderá vir a ser um bom pastor. Se passar pelo nosso crivo, enrolará qualquer crente. Só que ainda não passou.

    Acho que qualquer um entende o que o Ivan Carlos pretendeu dizer (e até você entendeu), mas forçou a barra, tentando caracterizá-lo como preconceituoso.

    Particularmente, eu também acho que religião é uma coisa nociva. E a causa principal disso tudo são os próprios líderes religiosos. Todo homem tem dentro de si o sentido de religiosidade, até mesmo os ateus, embora talvez nem se dêm conta disso. O homem não precisa de pastores, papas, bispos, missionários, pais-de-santo ou gurus para conduzir o seu sentimento de religiosidade. Muito menos de umas regras furadas escritas nos ditos “livros sagrados”. E é aí que reside o maior erro: OS LIVROS NÃO SÃO SAGRADOS E AS PALAVRAS QUE CONTÊM NÃO SÃO DE DEUS – SÃO DOS HOMENS. Você que é estudioso da Bíblia, leia “Levíticos” (nem vou falar os versículos porque é o capítulo inteiro), veja se aquelas barbaridades podem ter sido ditas por “Deus”. O pior é que lá (LEIA, LEIA, LEIA), até o homossexualismo é permitido e até exaltado. Como agora os crentes querem discriminar os homossexuais? E as disparidades sobre Jesus são tantas que até de homossexual (não sou eu quem diz isto) ele já foi chamado. Se você não ficasse lendo apenas a Bíblia e os Evangelhos, saberia disso.

    Apenas um detalhe: Não sou homossexual, sou pai de 5 filhos e ADOOORO mulher. Portanto, que não se venha com insinuações de que eu tenha tais tendências. A mim, também não me agrada muito o comportamento de alguns homossexuais – eu disse alguns, porque existem os sóbrios, cultos e discretos, que até admiro e respeito. Mas sou inteiramente favorável a que eles não sejam discriminados e principalmente no terreno religioso. Não concordo com o que a besta irracional do Silas Malafaia, líder das Assembléias de Deus, prega contra os homossexuais, levando a crentaiada a apoiá-lo. Um cara como esse, deveria ser P R O C E S S A D O, C O N D E N A D O e P R E S O.

    Será que a Bíblia só serve e é verdadeira nas partes que interessam a cada um? Porque também não consideram como verdadeiro tudo o que ela tem de errado? Ora, se é a “palavra de Deus”, não pode ter erro.

  • KLEBER RAMÍREZ disse:

    Olá pessoal.
    A respeito do projeto de Lei 122/2006, vocês já leram?
    A mesma PRETENDE CRIMINALIZAR A NÃO-ACEITAÇÃO DO COMPORTAMENTO HOMOSSEXUAL.
    A grande preocupação e ameaça é a agenda homossexual, que quer recriar a sociedade e as leis conforme sua própria imagem e semelhança. Essa preocupação se concretizou de maneira intensa com o aparecimento do projeto de lei.
    Vou citar alguns possíveis cenários que passariam a existir após a aprovação deste projeto:
    1 – Ao ser demitido de uma empresa, um empregado homossexual poderia alegar que foi discriminado. Para isso, bastaria que se lembrase de qualquer momento em que alguém, na empresa, mostrou uma mínima repulsa a um gesto obsceno do homossexual. Ele, então, poderia declarar que sofreu preconceito, e o resto será uma novela trágica para o patrão.
    2 – Essa situação poderá se repetir em escolas, seminários e até mesmo nos lares, no qual uma empregada ou babá lésbica sempre terá uma “carta na manga” contra a patroa.
    3 – Essa lei manterá os chefes apavorados com os homossexuais e deixará os gays livres para criar confusão em seus empregos.
    O governo tem atuado por meio da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia contra os crimes sexuais, porém, a CPI da Pedofilia em nada tem ajudado a desmascarar a ligação entre práticas homossexuais e abuso sexual de meninos.
    Quanto a mídia, toda vez que se noticia crimes de meninos abusados, a homossexualidade do criminoso jamais é mencionada. Aliás, essas notícias jamais citam as palavras HOMOSSEXUAL ou HOMOSSEXUALISMO.
    Existe um grupo de evangélicos que atuam na evangelização dos homossexuais. É inevitável que exista um clima de intolerância entre evangélicos e gays. Esse é um caminho sem volta.
    A facilidade que existia antes para evangelizar está na mira dos ativistas homossesuais. Mesmo que não houvesse um debate tão acirrado, é meta firme do movimento homossexual equiparar homossexualidade com normalidade.
    Ser negro, ou branco, ou pardo é normal e natural. Daí, seria anormal tentar convencer um negro a se tornar um branco, e vice-versa. Os ativistas gays reivindicam para si semelhante direito:
    Serem legalmente equiparados, em suas práticas homossexuais, como normais.
    Se tal igualdade forçada tornasse igualdade, qualquer tentativa de ajudar um homem a abandonar as práticas homossexuais será vista como anormal e até criminosa. Será, então, impossível ajudar homossexuais sem arriscar sofrer o peso da justiça humana. Eu digo isto amigos, porque no meio da sociedade gay, existem homens e mulheres querendo se libertarem desta situação.
    Como disse, anteriormente, amo a pessoa homossexual, mas não concordo com a prática do homossexualismo.
    Um abraço.
    Kleber Ramírez

  • ivancarlos disse:

    Kleber,

    Vou lembrá-lo uma passagem bíblica que reputo como das mais bonitas, mesmo sabendo que é de seu inteiro conhecimento.
    Quando Paulo descreve o amor fraterno (ágape) em sua primeira carta aos Coríntios no capítulo 13, ele oferece algumas “receitas” para quem quer amar daquela forma:
    O amor, diz ele, “NÃO SE CONDUZ INCONVENIENTEMENTE, NÃO PROCURA OS SEUS INTERESSES, NÃO SE EXASPERA, NÃO SE RESSENTE DO MAL; NÃO SE ALEGRA COM A INJUSTIÇA, MAS REGOZIJA-SE COM A VERDADE; TUDO SOFRE, TUDO CRÊ, TUDO ESPERA, TUDO SUPORTA.” v. 5, 6 e 7.
    Daí, fica fácil tirarmos algumas conclusões para aplicarmos à matéria em foco. Ao tentarmos modificar os hábitos de uma pessoa, mesmo hábitos prejudiciais à saúde daquela, como fumar, beber, etc., apesar de nossas mais sublimes intenções estaremos sendo inconvenientes, meu caro. E muitas das vezes, não estamos nem um pouco preocupados com o bem-estar daquela pessoa, e sim, com o incômodo que possa nos oferecer; ou seja, neste caso, estamos procurando nossos próprios interesses e não estamos sabendo suportar aqueles que nos contrariam.
    Poderíamos tirar ainda, conclusões à cerca de exasperos e injustiças. Mas o exposto, já é suficiente para refletirmos.
    Por fim, sem querer duvidar de suas palavras, ao longo de meus 53 anos de vida não conheci nenhum homossexual que quisesse deixar de sê-lo. Portanto, vejo qualquer iniciativa, no sentido de transformação daquelas pessoas, como uma “luta inglória” que acabam gerando conflitos existenciais para ambos os lados.

    Um forte abraço.

  • KLEBER RAMÍREZ disse:

    Gostei Ivan. Você está certo em parte. Por isso que admiro você e o Sr. Ivo.
    Mas deixe-me esclarecer uma coisa.
    Quanto ao meu comentário anterior, tive que mencionar alguns problemas que futuramente poderiam existir, caso essa lei seja aprovada. Eu quiz falar a linguagem natural para trazer algum esclarecimento.
    Mas em se tratando de problemas espirituais, vou dar o meu parecer.
    Não sei se vocês acreditam que existam pecados. Se a resposta for não, mesmo assim argumentarei encima deles, Afinal, tem que existir resposta para tudo, não é verdade? Vejamos:
    Jesus disse em João 8:31-36
    31 Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos;
    32 E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.
    33 Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres?
    34 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado.
    35 Ora o servo não fica para sempre em casa; o Filho fica para sempre.
    36 Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.
    Ele também disse: João 16:15-16
    15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
    16 Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
    Nós pregamos o evangelho para as pessoas, para que elas crendo, sejam libertas do pecado e adquiram a vida eterna. A nossa intenção, jamais é impor uma coisa contra sua própria vontade. Digo isto por mim.
    Na minha congregação existem três ex-homossexuais. Dois deles já casaram e já tem filhos, o terceiro ainda está solteiro. Mas também outros que se converteram, voltaram a vida que antes praticavam.
    Existem também, ex-drogados, ex-adúlteros, ex-prostitutos, ex-corruptos, ambos os sexos, é claro. E todos eles receberam a palavra da salvação e se converteram.
    A homossexualidade, a prostituição, o adultério, a corrupção, a mentira, o homicídio, etc, são pecados e pessoas são prisioneiras deste mal.
    Mas a decisão de mudarem de vida, é de cada um.
    Quando Jesus Cristo comissionou a sua igreja a pregar o evangelho, é para que todos creem nele e sejam libertos.
    A comisão da igreja é pregar a palavra e pratica-la, agora o crer a da pessoa que houve a palavra.
    A prática do amor, o qual se refere o versículo de I coríntios 13, faz parte deste contexto. Eu, minha família e outras pessoas damos parte de nossa vida para investir na vida espiritual das pessoas.
    A bíblia também fala sobre pessoas que amam a prática de pecado, mas também ela fala que existem pessoas querendo serem libertas.
    Em Apocalipse 21:8, I Coríntios 6:9-10, Gálatas 5:19-21, Efésios 5:5, I Timóteo 1:9, Hebreus 12:14, fala que as pessoas que praticam tais atos, não herdarão o reino de Deus.
    Mas sabemos também que as pessoas que se arrempenderem e se converterem de seus mão caminhos, herdarão o reino de Deus.
    Para encerrar, deixo este versículo: I Timóteo 2:4-5
    4 Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.
    5 Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.
    Um grande abraço.
    Que Deus continue abençoando vocês.
    Kleber Ramírez

  • ivancarlos disse:

    Kleber,

    Foi muito oportuno você tocar nesse assunto de pecado, aqui ficará bem claro as visões diferentes que temos sobre o mesmo assunto. Tudo que vou descrever é fruto da mais profunda pesquisa particular, pois sempre foi um assunto que me intrigava. Não concordava com os conceitos da teologia idealista sobre o assunto, achava até que estava sozinho em minhas opiniões, mas para minha surpresa, não. Existem pensadores, profundamente religiosos, que embasam meus pensamentos.
    O erudito biblista mexicano, Porfírio Miranda, depois de estudar a Bíblia sob a ótica da teologia da libertação, chega a seguinte conclusão:
    “A tese mais revolucionária, onde, em contraste com todas as ideologias ocidentais, coincidem Bíblia e Marx é esta: o pecado e o mal que se estruturam em um sistema civilizador escravizante, não são inerentes à sociedade e à história; um dia começaram por obra humana, e portanto são suprimíveis.”
    Estes exegetas redescobriram que o verdadeiro sentido do “pecado” para a Bíblia é a injustiça. O Deus da religião bíblica é um Deus que se revela em seus atos de justiça onde se liberta o oprimido e explorado, só pode ser “conhecido” fazendo justiça, e por isso rejeita os cultos religiosos; o sacrifício que exige é a justiça para o homem, o amor ao homem. Portanto, o fato da desvirtuação atual da palavra pecado cria um sério problema de comunicação para estes teólogos. Diz Miranda:
    “Pecadores é tradução equívoca, a não ser que já se suponha que o único pecado é a injustiça; coisa que os Setenta sem dúvida supõem, como bons conhecedores que eram da Bíblia, mas nossas línguas modernas não. É digno de nota que em outros tempos “obras de piedade” significasse sem equívocos uma conduta para com o próximo, e hoje equivalha praticamente a orações e exercícios religiosos; a palavra “piedoso” sofreu o mesmo processo evasivo. Toda a história do cristianismo aí está para confirmar isto.”
    O teólogo cubano protestante Sérgio Arce, que faz uma das mais radicais interpretações da revolução como o método de Deus para criar, reconciliar e redimir, desenvolve o conceito de pecado como “a tentativa de deter o processo dialético do desenvolvimento do homem e da história numa etapa à qual os homens outorgam caráter de absoluto e final, de tal modo que daí em diante impedem a mudança” – esse processo está assentado nas relações sociais de produção – Arce diz que com o homem bíblico se inaugura uma história com futuro aberto que destrói o fatalismo cíclico da natureza deificada, como sustentam os homens do Oriente Médio.
    Esta história aberta vê-se ameaçada, quando querem proclamar as virtudes e os valores relativos aos interesses de classes, épocas e nações como absolutos e finais, convertendo-se dessa forma em ídolos.
    Portanto, a revolução na história é a destruição do pecado, daquilo que impede de colocar os homens em sua própria perspectiva histórica orientada para o processo contínuo da história, aquilo que tende a converter-se em sistema final para dividir os homens e explorá-los, e é um reconstruir a liberdade do processo de desenvolvimento humano que caminha para a perfeição em Deus.

    Um forte abraço. Aguardo seu parecer sobre o assunto, ok?

  • KLEBER RAMÍREZ disse:

    Interessante Ivan.
    Mas esse foi o que eles entenderam.
    Vamos recapitular. Vou utilizar a bíblia, por que afinal de contas é dela que até estes teólogos dizem entenderem do assunto. Vejamos:
    1 – Quando Adão e Eva comeram do fruto proibido, foram expulso do paraíso. Pergunta: Porque o fruto era algo tão especial ou foi o ato da desobidiência, já que Deus tinha dito a eles que não o comessem, acarretando assim uma consequencia para a humanidade?
    2 – Por que Deus separou um povo para não se misturar com outros povos, esses que praticavam atos que não eram agradáveis a Deus?
    3 – Deus falou a Moisés para escrever as Leis e suas ordenanças visando um propósito. Qual seria?
    4 – Por que os profetas profetizaram que viria um messias para redimir e tirar o pecado da humanidade?
    5 – Quando o Messias se manisfestou, aconteceu muitas coisas que estavam escrita a respeito dele nos pergaminhos antigos. Qual seria o propósito?
    6 – Se Jesus era judeu, porque está escrito tanto no Velho e novo testamento, que até nós, que não somos judeus, recebemos o perdão de nossos pecados através de seu sacrifício na cruz do calvário?
    Um abraço.
    Kleber Ramírez

  • SOU LESBICA E QUERO MEUS DIREITOS disse:

    EU ME CHAMO SUZENNY SOU LÉSBICA DESDE MEUS 13 ANOS DE IDADE JA FIU EVANGELICA MAIS NÃO CONSEGUI ME MANTER FIRME EU CAIR EM TENTAÇÃO. EU SO QUERO FALAR QUE ESTOU NAMORANDO COM UMA MULHER MARAVILHOSA E QUERO MUITO ME CASAR COM ELA SOU DO RIO DE JANEIRO E QUERO MUITO QUE TENHA CASAMENTO DE HOMOXESSUAIS TEMOS DIREITOS INGUAIS A TODOS POIS SOMOS HUMANOS QUE MUDAMOS COM FREQUÉCIAS E TEMOS OS DIRETOS DE SE CASAR NÃO SOMOS DIFERENTE DE NINGUÉM …………

  • KLEBER RAMÍREZ disse:

    É uma honra ter você neste blog.
    Quanto a sua forma de viver, quem somos nós para te condenar e criticar.
    Cada um de nós temos escolha, não é verdade?
    Afinal, como você disse, somos tentado todos os dias.
    Eu mesmo, sou tentado em mentir, a irar-se, a adulterar, a fazer coisas que não convém. Mas sempre cai em nossa vida, o poder de escolha.
    Aprendi que todas as vezes que eu cai em tentação, sempre foi ou para sentir alívio, escape, ou tirar proveito em situações desfavoráveis para mim, ou etc.
    Está escrito o seguinte: Tiago 1:12 ao 14
    12 Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.
    13 Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta.
    14 Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência (desejo).
    15 Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.
    Quando nós experimentamos relacionamentos, onde temos o contato físico, ficamos tão preso a isto, tudo se fecha ao nosso redor, e acreditamos que aquilo que praticamos está correto.
    Deus te ama e ele quer ver você feliz.
    Lembre-se Suzenny. O homem e a mulher foram feito a imagem e semelhança de Deus. Por isso é que temos este grande poder: A ESCOLHA.
    Observe estes versículos:
    “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.” (I Coríntios 6 : 12)
    “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.” (I Coríntios 10 : 23)
    “Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar.” (Gênesis 4 : 7)
    Lembre-se Suzenny. Ninguém é melhor do que você. O mesmo Deus que perdoou os meus pecados, também te perdoou. Ele te ama e quer ver você feliz.
    No aguardo de mais comentários.
    Um grande abraço.
    Que Deus continue abençoando a você e sua família.
    Kleber ramírez

  • Graaaande Kléber, o nosso crente favorito!…

    Parabéns, Kléber! Noto uma grande mudança em você: parece estar ficando mais lúcido, mais equilibrado e menos fanático. Quem dera os outros crentes tivessem o seu comportamento ético!

    Tenho acompanhado os seus comentários e noto que estão muito mais equilibrados, sem apresentar aquele condão de “só o que eu digo é certo, porque está em confomidade com a Bíblia”. Você certamente já percebeu que muitos dos preceitos bíblicos estão equivocados, embora existam alguns que mereçam ser seguidos (pena que sejam a minoria).

    Acho que foi muito válido o seu comentário sobre as dúvidas da Suzenny. É por aí mesmo, exceto pelo “perdão de Deus”. Ela não precisa deste perdão. Só tem que ouvir a sua consciência. Se sente-se bem assim e se sua atitude lhe faz feliz e à sua amiga, sem prejudicar ninguém, não há porque ser discriminada ou achar que está fazendo algo errado.

    Suzenny: seja quem você é, e não mude o seu jeito de ser apenas para atender convenções sociais nem sempre corretas! É isso.

  • mgomide3 disse:

    Nós não somos nós; somos Natureza. Nesse aspecto, não há escolha. O homem é apenas um dos milhares de espécie animal e tem que agir em conformidade com seus registros genéticos. Se eu tivesse nascido um gato, agiria como gato, pois meus cromossomos condicionam minha forma, meus procedimentos, meus recursos, minhas limitações. Nunca ninguém viu um gato agir como urubu. Cada espécie animal tem a sua natureza biológica.
    Na esfera biológica, a Natureza, quando vai produzir um novo indivíduo humano, faz o cruzamento e combinação entre os genes masculino e feminino de seus pais. Nessa ação, não há cópia do pai ou da mãe. Nessa etapa, de criação de novo tipo, o processo lança mão de um recurso extremamente fantástico: o acaso. Esse procedimento aleatório se constitui na força sábia que provoca a mutação, mola propulsora dos objetivos dinâmicos da adaptação ao meio ambiente com a conseqüente evolução. Não fosse assim, ainda seríamos meros unicelulares. E nesse procedimento ocorrem erros, que podem ser biológicos, espirituais, ou combinações inesperadas.
    Um homem – tudo comandado por hormônios que obedecem aos cromossomos – tem sua morfologia masculina acoplada a uma alma masculina. Uma mulher tem morfologia feminina e uma alma feminina.
    Que culpa, que escolha, que pode fazer uma pessoa com corpo masculino acoplado a alma feminina? Ou vice-versa? Há outras variantes, aqui não abordadas para não alongar este comentário.
    Convido os leitores a imaginarem se tivessem nascido com alma feminina e as leitoras com alma masculina. Daí perceberão os choques psicológicos de tais criaturas. Elas se sentiriam como prisioneiras eternas. E, é claro, têm que buscar um modo de vida que lhes satisfaça.

  • KLEBER RAMÍREZ disse:

    Obrigado Sr. Ivo.
    Embora, far-se-á necessário o perdão de Deus para nossas vidas, as consequências existem para qualquer escolha.
    Se a escolha for correta, a consequência ou resultado disto é bom e gera vida.
    Se a escolha for errada, a consequência ou resultado são bastante desastrosos.

    Sr. mgomide3.
    Baseando-se em seu comentário e raciocínio, então, por favor, responda-me:
    1 – Porque existe a pedofilia?
    2 – A prostituição existe? Responda sim ou não e faça um comentário sobre a sua resposta.

    Um abraço a todos.
    No aguardo.
    Kleber Ramírez

  • Kléber, o comentário do Gomide foi claríssimo e não deixa qualquer dúvida: se alguém nasce com um “defeito de fabricação” e tem de conviver com ele, o que pode fazer a não ser adaptar o seu “modus vivendi” à sua real situação, para tentar ser menos infeliz? Há algum erro nisso?

    Prostituição e pedofilia não tem nada a ver com o que estamos tratando aqui. São outras questões. Também, no caso presente, não é uma questão de escolha: a pessoa nasceu assim. Agora, existem exceções? Sim, como tudo na vida. Pessoas que nasceram absolutamente perfeitas, física e psiquicamente, e optam pelo caminho do homossexualismo já é outra história a ser analisada, caso a caso. Outras razões intercorrentes no curso da vida da pessoa podem tê-la modificado e levado para o caminho da homossexualidade. Se são justificáveis ou não, só uma investigação profunda poderia dizer. Portanto, não cabe a nós prejulgar sem conhecer os reais motivos.

  • mgomide3 disse:

    Caro e valoroso Kleber,
    Pedofilia é um desvio psicológico que nada tem a ver com as construções da Natureza a que me referi. O pedófilo se situa mais na área de doentes mentais. Foge, portanto, de minhas considerações.
    Prostituição feminina ou masculina (esta muito em voga ultimamente) nada mais são que procedimentos comerciais. Também tal atividade não encontra amparo nas razões apresentadas.
    Meus argumentos se baseiam apenas em ações naturais.

  • Paulo Luiz Mendonça. disse:

    Envio abaixo algo sobre as picaretagens das religiões. Aproveitando faço um comentário sobre o assunto homossexualismo. O homossexual não é pervertido ele é uma pessoa normal se há uma diferença no comportamento a culpa da falha é da natureza, segundo li a respeito o que prevalece é o hormônio se o hormônio feminino prevalece o individuo tem tendência feminina, portanto a culpa não é dele, para quem acredita na Bíblia a culpa da falha é de Deus e para quem acredita no evolucionismo a falha é da natureza. Portanto o homossexual para mim e para todas as pessoas de bom senso e consciente, eles são pessoas normais que merecem todo respeito.

    O porque estou mudando.

    Nasci em um lar católico. Quando comecei a entender e aprender história me arrepiei, com as barbaridades praticadas pelo Clero na idade média, até ai tudo bem da para ir encarando com muitas reservas, mas quando comecei a assistir os brasileiros meus irmãos sendo conduzidos pelas igrejas evangélicas a um fanatismo sem precedente, vendo também um falso cristianismo sendo descaradamente usado pelos expertos, ai não tive duvidas isso e demais para minha cabeça, onde os cegos fanáticos não vêem nada eu vejo com toda clareza tudo isso é picaretagem, onde muitos espertos estão formando verdadeiros impérios de poder e dinheiro à custa de um povo com pouca cultura e pouco discernimento, povo este os quais não conseguem saber o que é certo ou errado. Tudo isso é muito triste para mim. A partir desta situação eu prefiro que Deus nem exista, porque este Deus esta sendo usado como moeda de troca para enriquecer um punhado de espertalhões, os quais tenho convicção que eles nem mesmo acreditam em Deus, pois se acreditassem de verdade, agiriam de outra maneira, não da maneira como estão pregando a palavra de Deus, um olho no púlpito e outro na carteiras dos adeptos.
    Diante disso só mesmo sendo ateu, agnóstico ou outra coisa qualquer menos seguir religião. Que Deus, se existir realmente me livre das religiões.

    Paulo Luiz Mendonça.

Deixe uma resposta