A propósito dos assuntos discutidos nas duas últimas matérias (“Aglutinação de Interesses Mundiais pela Amazônia” e ” Amazônia Ameaçada! E agora, o que Fazer? ), publico, a pedido, o interessante texto “AMAZÔNIA A UM PASSO DA INTERNACIONALIZAÇÃO, do escritor e colega do Recanto Das Letras, Ricardo De Benedictis (*), nosso mais recente e ilustre colaborador:

 

—————————————————————————————-

AMAZÔNIA A UM PASSO DA INTERNACIONALIZAÇÃO

Ricardo De Benedictis

 

 

O americano está de olho na Amazônia. Em nome da preservação da mata e da água potável da bacia amazônica, há um complô internacionalizante que muito nos preocupa. Declarações de personalidades, a exemplo de Margareth Tatcher (Inglaterra), Al Gore (ex-vice-presidente dos EUA), François Miterrand (ex-presidente da França), Mikail Gorbachov (ex-presidente da União Soviética), militares de altas patentes dos EUA e congressistas norte-americanos. Todos relativizam a soberania nacional brasileira sobre a Amazônia. Alguns destes cínicos, até propõem que o Brasil pague a dívida externa vendendo a Amazônia…

A pretexto de combater a guerrilha e o narcotráfico, os americanos ocuparam grande extensão da Amazônia colombiana; e de lá não sairão mais…Os balões de ensaio que a imprensa mundial vem publicando com a conivência da imprensa brasileira nos apontam para uma ação muito em breve contra o Brasil. Para que essa violência não se concretize, a população tem que ser informada através da imprensa, já que o nosso governo tem grande dependência que o inibe de tratar do assunto.
Urge a mobilização da nossa sociedade, estudantes, professores, intelectuais, formadores de opinião, para que, nas ruas, hajam manifestações contrárias à invasão. […]O governo tem que informar a população sobre as riquezas que se escondem no sub-solo amazônico, principalmente o petróleo… A mobilização, entretanto, deve ser seguida de atos do governo que visem povoar a Amazônia, através projetos e financiamentos. Além disso, guardar bem as fronteiras, aprovar leis de defesa, que autorizem a FAB a abater aviões clandestinos, entre outras medidas.Militares brasileiros têm chamado a atenção das autoridades constituídas para o perigo que estamos correndo. Em entrevista a Rede Vida de TV na 1ª quinzena de dezembro de 2003, o Brigadeiro Ércio Braga, então Presidente do Clube da Aeronáutica, no Rio de Janeiro, sugeriu que “o povo tem que ir às ruas portando bandeiras do Brasil para protestar contra a invasão americana na Amazônia. Uma cruzada cívica, com militares, estudantes e o povo, para demonstrar ao americano que o Brasil não aceita e vai reagir à invasão”.O governo vem treinando uma brigada militar batizada de “guerreiros da Amazônia” ou “guerreiros da selva”, cujos soldados aprendem a lidar com a força bruta da natureza na floresta virgem. Aumentar este contingente e montar uma grande base para resguardar as fronteiras são as palavras de ordem. Só assim esta nefanda idéia americana pode ser adiada. Caso contrário, a nossa Amazônia vai se transformar num Vietnã; “e os americanos que se preparem para receber seus soldados em sacos plásticos”, como disse o brigadeiro. O americano é milhares de vezes mais poderoso que nossas forças, mas o brasileiro é valente e vai reagir… Talvez a aquisição recente do Porta-Aviões São Paulo e de duas dezenas de supersônicos, tenha sido a forma do Brasil ir-se preparando para enfrentar essa situação…Atualmente, cerca de 70 poços de petróleo explorados no Pólo Arara, na Província de Urucu, mantém produção média diária de 1.570 barris cada, totalizando 100 mil barris/dia. Além de gás natural, o Pólo Arara está implantado sob a mais moderna técnica de preservação ambiental. O Brasil está a um passo da auto-suficiência de petróleo e isso não interessa às grandes potências. Sem falar nas jazidas de ouro de Carajás, Serra Pelada e tantas outras que fizeram do Uruguai, que não produz um grama de ouro, o maior comercializador deste metal nobre na América do Sul. No petróleo, no ouro, na biodiversidade da flora e da fauna debruça-se o interesse internacional. Na ponga destes interesses, vêm os europeus, que dizimaram parte da humanidade com suas idéias racistas… caracterizadas na ação do anti-Cristo Adolf Hitler…A região amazônica é vítima da biopirataria que consiste em contrabandear espécies nativas através os 13 mil Km. de fronteiras. Infelizmente, constata-se que as comunidades indígenas, por falta de esclarecimento, colaboram com o contrabando de espécies da fauna para a Colômbia e para o Peru. Urge a criação de um Pólo de Biotecnologia para pesquisa e patentes, já que o Brasil, por ser o país de maior biodiversidade do mundo, com cerca de 15% da água potável do planeta, nos 7.500 mil Km2 da bacia amazônica, está constantemente sob a mira do predador americano e europeu; é bom registrar que a flora vem sendo alvo de pirataria por grandes laboratórios do 1º mundo que furtam e patenteiam nossas espécies… Além disso, ouro e outros minerais estão no sub-solo e é nas florestas e no sub-solo que os americanos estão interessados. Preservar não é peculiar a quem dizimou milhões de índios e devastou suas florestas. Os EUA negaram-se a assinar o protocolo de Kioto que visa diminuir a poluição de gases que aumentam o buraco da camada de ozônio que envolve o planeta. Com que moral os americanos querem “internacionalizar” a amazônia? Acham pouco o que fizeram contra o México? E as bombas atômicas que despejaram, sem piedade, em Hiroshima e Nagasaki, O mundo já esqueceu? E as sanções impostas contra o Iraque que condena à desnutrição e à morte, milhares de crianças, o mundo globalizado desconhece? Quem financiou a revolução em Cuba, no Chile e fomenta guerras para vender armamentos, será que não são os americanos? E a quem interessa a eterna guerra de Israel contra a Palestina? A história está aí para atestar.

Sugerimos que nossos leitores escrevam através de e-mails, faxes ou pelo correio, clamando aos nossos deputados, senadores, chefes das forças armadas, presidente da república e para a grande mídia que vem se mostrando conivente com esta situação, omitindo-se a respeito de assunto tão grave.
Para encerrar, o governo Lula, em 2005 manda um projeto para “entregar” 20% da floresta amazônica às ONGs internacionais por 40 anos, renováveis por mais 40, com direito a desmatar, manejar e exportar madeiras nobres em toras, alegando que a floresta se recuperará em mais ou menos 50 anos. E o Congresso Nacional aprovou este projeto lesa-Pátria, em fevereiro de 2006.
Enfim, nem todos os brasileiros serão culpados quando as cobranças futuras recairem sobre esta geração perdida, que somos todos nós, se a “voz rouca das ruas” não impedir tais ignomínias!

A criação desta Lei, é um passo decisivo e sem volta para internacionalização da Amazônia. Adeus à Soberania Nacional e aos nossos mega sonhos de Futura Potência Mundial!

 

 

 

 

 

Ricardo De Benedictis

 

(*) – Veja a biografia de Ricardo De Benedictis no artigo “Amazônia Ameaçada! E agora, o que Fazer?”

 

———————————————————————————————–

 

 

Como se vê, o assunto, visto pelos pontos-de-vistas de 3 ambientalistas que o pesquisam, apresenta pontos de unanimidade de concordância em alguns aspectos e de discordância em outros. Falta a sua opinião e, se fosse possível, as de todas as pessoas, órgãos, ONGs e demais instituições públicas e privadas que têm por meta pesquisar os assuntos ambientais. Está aberto o debate!

Technorati : , ,

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

18 Comentários

  • Yan Kavasi disse:

    Na minha modesta opinião, o complô já está formado e só esperando o momento certo para dar o bote. O Brasil está sendo monitorado à distância, esperando-se que ele afunde ainda mais na sua incompetência. Na hora em que eles acharem que chegamos no limite… BUUUM! Pela diplomacia ou pela força, tomam-nos a Amazônia e impõem suas regras, que teremos de respeitar. Que humilhação!

    Achei interessante aquele pensamento expresso num dos últimos comentários do administrador:

    “Para que haja uma guerra entre dois países é preciso haver um motivo;
    Para que haja um motivo, é preciso que um dos lados o provoque;
    Para que um dos lados o provoque, basta desejar. E se o motivo não existir, fabrica-se um.”

    E isto é, de fato, o que poderá acontecer. Nem a ONU vai nos defender.

  • Antidio Teixeira disse:

    Ricardo:
    Sua declaração é perfeita. Ocupar a nossa parte da Amazônia enquanto, reconhecidamente, é nossa deve ser “Agora, ou Nunca Mais”, pois, hoje, teremos o maior apoio há muito tempo declarado: das Forças Armadas.

    Maurício:
    Quando citei colonias estrangeiras na Região, não quis me referi a colônia de férias ou exploratórias, como ocorreu nas Américas no passado; mas, refúgio ambiental, uma vez que fatores climáticos tornarão inabitáveis por seres animados as regiões acima de Câncer e abaixo de Capricórnio. Os efeitos já estão sendo “suavemente” sentidos com as intempéries que já estão fustigando seus habitantes.
    Aquele abraço e boa semana,
    Antídio

  • Administrator disse:

    Antídio:

    Que pena que aqueles gráficos ilustrativos que você me enviou para ilustrar a “Cartilha” não possam ser reduzidos a um tamanho com legibilidade. Seriam úteis para ilustrar seus comentários. Será que vc não conseguiria reduzí-los a uma largura de 415 px para que pudéssemos publicá-los?

    Detalhe: reduzir, desde que fiquem legíveis. Conseguir reduzir eu também consegui, mas não se lia nada. Somente por isso não publiquei.

    Obrigado por abrilhantar-nos com o seu comentário. Você percebeu que estamos nos dividindo com as opiniões relacionadas ao assunto “Internacionalização da Amazônia”? Cinco pessoas, 5 opiniões distintas e apenas duas coincidiram em 100%.

    Por isso, é salutar o debate. Da discussão sai a luz. Oxalá mais pessoas se interessem e participem das discussões.

  • Antidio Teixeira disse:

    Administrador:
    Obrigado por seus comentários elogiosos. Não faço mais do que a minha obrigação divulgar para a sociedade a visão ambiental que descortino por um ângulo diferente daquele que a Ciência foca, após trinta anos de acompanhamento. Com relação às seis projeções, tenho a mesma dificuldade que você encontrou. No entanto, os debatedores, ou simples leitores, que tiverem interesse em analizá-las, passem seus e-mails para antidio28@yahoo.com.br e terei imenso prazer em encaminhá-las.
    Parabéns pelo trabalho que seu blog está apresentando.
    Antídio

  • Ricardo De Benedictis disse:

    Faltam muitos detalhes em meu artigo. Principalmente a demarcação criminosa em área contínua da reserva Raposa Serra do Sol em Roraima, sancionada pelo presidente Lula e o leilão de 95 mil hectares de florestas para ninguém sabe quem, também assinada pelo presidente Lula no mês de maio. É incrível que a tal Lei de Manejo (?) de Florestas tenha saído da cabeça da ex ministra Marina Silva. Afinal, ou esse pessoal é ingênuo demais ou….!!!!
    Para encerrar, por enquanto, o sueco Johann (não sei se a grafia está correta) que comprou 160 mil hectacres da Amazônia, publicou uma matéria recente em todos os jornais do mundo garantindo que com 50 bilhões de dólares compraria toda a sua extensão. Parte já é dele!!!

  • Ricardo:

    Obrigado por trazer mais luz aos nossos debates. O que você falou sobre a compra de toda a Amazônia por 50 bilhões de dólares é a mais absoluta verdade. Eu vi essa matéria e, inclusive, foi noticiada na televisão, na “Semana do Meio Ambiente”.

    Quanto à Ministra Marina Silva, não creio que seja apenas incompetência, pois seria demais, O que ela sofreu foram pressões e mais pressões, compelindo-a a assinar e concordar. Talvez até por isso, cansou-se e renunciou, sem entregar quem lhe pressionava. Tudo leva a crer que seja gente do próprio partido, caso contrário, ela entregaria. Por isso, as coisas continuam acontecendo, por baixo do pano.

    Esperemos que o novo ministro, Carlos Minc, não entre nesse jogo. Talvez não no início, mas depois…

    Só nos resta ficarmos atentos, acompanhar e torcer. E vou mais longe: se os estrangeiros se unirem e quiserem, eles nem pagam nada – tomam a Amazônia pela força, diplomática ou militar.

  • Maguilla disse:

    Não sei se vai, mas há uma grande possiblidade. É só analisar a evolução dos fatos e olhar para a história da humanidade. Perceber como age o imperialismo e as artimanhas que empregaram para invadir países e tomarem o poder é o primeiro passo.

    Depois, trazer essas técnicas para a “era da economia globalizada”. O que mudaria? Apenas os pretextos e algumas inovações políticas e tecnológicas. Mas no fundo, no fundo, seria tudo igual, ou seja, os mais fortes dominando e explorando os mais fracos.

  • Antidio Teixeira disse:

    Bom retorno. Maguila na área. De repente sai um gooool.
    De minha parte, seja benvindo.
    Antídio

  • mgomide3 disse:

    Yan Kavasi e Maguila,
    Expresso minha satisfação em vê-los presentes nesta trincheira. Ambos deram seus recados com muita propriedade, indicando que assimilaram a problemática amazônica. Nós outros precisamos de amparo em nossas manifestações. E a colaboração de vocês nos trazem ânimo e entusiasmo para prosseguir na luta ambiental. Estou realmente eufórico por essa participação. Á parte, estou nesta data trazendo mais informações sobre a problemática em foco. Eu mesmo não sabia que as ações das forças econômicas, ajudadas por um de seus filhos, a corrupção, se sobrepunham com tão eficiência na prática do mal.

  • Lu Vergueiros disse:

    Não só a Amazonia não é nossa como o próprio governo já admitiu a falta de barreiras na atuação estrengeira no local.
    Neste passo daqui a 10 anos tudo que veremos será uma vastidão transformada pela sórdida ação humana no local.
    Ou fazemos algo agora (digo, agora!) os lobbistas mundiais farão do lar da maior biodiversidade do mundo um quintal de seus interesses neoimperialistas.

    Fica um questão no ar: dizem os estudiosos que o socialismo foi um sistema que não deu certo, e eu me questiono; o capitalismo deu certo? fazendo quase desaparecer a soberania nacional….
    Viva a ação do governo!
    viva a soberania!
    a amazonia tem que ser nossa!

    Abraços,
    Lu V.

  • Antidio Teixeira disse:

    Lu V.
    Você é benvindo (a). Espero que tenha vindo para ficar entre nós.
    Dentro das evoluções climáticas que acompanho há mais de 30 anos, os países que se situam acima do Trópico de Câncer e abaixo de Capricórnio, tendo em vista o esgarçamento do cobertor de ozônio dos pólos em direção aos ditos trópicos, já estão sofrendo as conseqüências do desequilíbrio climático, como você pode constatar no notíciário diário, com tendência de rápido agravamento. Toda a região intertropical no planeta, onde se situa a Amazônia e outras florestas tropicais, servirão de refúgio para povos de países ricos e pobres. É, portanto, imprescindível que povos que habitam e/ou detêm tais territórios, e seus respectivos governos, afastem-se dos pontos de vista movidos por paixões semeadas por interesses econômicos de outros países. É nescessário novos estudos que projetem as tendências ambientais e sociais para, então, implantarem um plano de ocupação mundial com a preservação da soberania brasileira.
    Forte abraço,
    Antídio

  • Lu Vergueiros disse:

    Muito obrigado Antidio, vim para ficar sim….
    a internacionalização é um assunto que muito me inspira em debater.
    Sou uma médica engajada politicamente !
    De todas as viagens que já fiz à Africa para tratar as crianças com tuberculose agravada, vi muita coisa, aprendi muita coisa, formei muitos valores, dentre eles a vontade de preserver tudo que seja humanitário, de fato.
    Sinto-me acolhida aqui.

    Abraços,
    Lu V.

  • Lu Vergueiros disse:

    errata:
    obrigadA

  • Antidio Teixeira disse:

    Lou:
    Obrigado por ter voltado. Não sou o titular do blog, mas sim o Ivo que logo lhe dará boas vindas porque, pelas suas experiências, sua presença entre nós será muito valiosa.
    Aquele abraço
    Antídio

  • Administrator disse:

    Antídio:
    Não sei explicar os porquês (ainda vou investigar), mas o seu último comentário não saiu publicado, sendo acessível apenas pelo dashboard. Nele, você agradece mais uma vez a participação da visitante Lu Vergueiros, dizendo-lhe que eu lhe daria as boas-vindas.

    Lu Vergueiros
    De fato, Lu, ratifico tudo o que o Antídio, um dos nossos mais ilustres colaboradores disse: Seja bem-vinda. Infelizmente, a visibilidade do nosso blog ainda não é tão grande quanto gostaria que fosse, mas ainda assim, tentamos cumprir nossa missão e a participação de pessoas como você é sempre bem-vinda.

    Sinta-se em casa!

    Em tempo: Antídio, esqueça o que falei sobre o seu comentário. O problema já foi corrigido e o comentário está publicado, acima deste.

  • Bruno disse:

    Recebi um e-mail no qual se tratava de uma entevista realizada com o então Ministro de Educação (acho eu) Cristóvão Buarque. Nessa entrevista à um jornal estrangeiro lhe perguntaram sobre a “internacionalizacçao da Amazônia” e o mesmo disse que, assim como a Amazônia, o museu o Louvre, os canyons americanos e diversas outras riquezas em vários países também deveriam ser internacionalizados, pois se é para o bem estar global, todas as riquezas deveriam ter o mesmo trato.
    É óbvio que tal entrevista não foi publicada, mas valeu como alerta para o resto do mundo que a Amazônia é NOSSA… então, subimos mais um degrau na luta pela Amazônia.

  • Administrator disse:

    Bruno:

    De fato, houve essa palestra sim e ela já foi publicada em vários blogs.
    Não foi uma entrevista a um jornal estrangeiro, foi uma palestra que fez numa universidade americana. Christóvão Buarque foi elogiadíssimo pela sua presença de espírito ao responder as perguntas irônicas dos estudantes , que pretendiam passar a idéia de que a Amazônia deveria ser internacionalizada, já que o Brasil não tinha como protegê-la..

    Com a mesma ironia, mas com classe, Christóvão Buarque rebateu e foi muito aplaudido.

    Procure na internet e você achará a íntegra da sua fala. Vale à pena ler.

  • george disse:

    Caro autor, acho que nós brasileiros estamos preparados pra guera!! imagina o cenário de volta!! As gerações da guerra do paraguai ( os Sulista); os Nordestinos( bravos acostumados a matar e morrer) ; os indios carnívoros da amazonia que devora tudo na fome!! e sem esquecer os bandeirantes que conheceram este Brasil de norte a sul!! coitados dos Americanos vão todos voltar com as medalhas enroladas nos sacos plásticos e com a frase ” A amazônia é do Brasil” !!!!!!!!!

Deixe uma resposta