Quem já não teve essa dúvida? E quantas vezes ela já ocorreu, estando você no meio de um texto que preparLogo do site ortografaa para publicar na Web, sem ter um dicionário atualizado ao seu alcance ou, mesmo tendo, sem paciência para interromper o trabalho e procurar?

Pois é, caro leitor, como diz a propaganda das "Organizações Tabajara", do Casseta e Planeta, seus problemas aaaaaaaaacabaram!.  Agora existe um site que faz esse serviço para você rapidinho, sem cadastros, sem burocracias: basta que você digite o texto (ou a palavra duvidosa) e ele o reproduz, imediatamente, com a grafia correta. E o serviço é completamente gratuito, sem contrapartidas.

Mas ainda existem pequenas limitações, perfeitamente compreensíveis: por exemplo, se você digitar a palavra "ai" (interjeição, sem acento), no lugar de "" (advérbio de lugar, com acento), ele não vai acusar erro e vai reproduzir a palavra "ai", por também estar correta e uma vez que o programa não sabe o que você pretendia escrever. Outro exemplo: ele dá como corretas as grafias "sul-riograndense" e "sul-mato-grossense".  Por que, não seria sul-matogrossense? A regra não é a mesma? Não, não existem explicações. Aliás, na nova ortografia, as palavras hifenizadas são as mais problemáticas e não há consenso nem entre os gramáticos. O objetivo do site não é explicar as regras, mas mostrar como se escreve corretamente as palavras.

Portanto, levando isso em conta e desconsiderando algumas limitações, o site atende muito bem às suas finalidades e está passando por constantes melhoramentos. Melhor e mais simples do que isso? Se existir,  ainda não encontrei.

O nome do site é    Ortografa!   e para acessá-lo, basta clicar na palavrinha mágica aí atrás.

Bem, se for para a hora da pressa, desejando saber só a grafia correta com a nova ortografia e não as regras a que estão sujeitas as palavras, o Ortografa! é o site indicado. Mas, se além disso você desejar saber a grafia correta e quais foram as regras obedecidas ou quebradas (em caso de erro), você poderá ir para o site "Um Português", que além de corrigir a(s) palavra(s), mostra as regras a que se sujeitaram. Todavia este último site também só corrige palavras da nova ortografia. Palavras grafadas corretamente com a ortografia antiga e que mudaram com a nova, seriam dadas como erradas. E vale lembrar que até 2012 ambas as formas são permitidas. Tenham isto em mente ao utilizar as ferramentas!

Divulgamos a informação acima apenas por ser de "utilidade pública" e por despertar o interesse daqueles que porventura queiram usar a nova ortografia. No entanto, a Administração deste blog, por questão de racionalidade e levando em conta as muitas dúvidas quanto ao uso do hífen, a não edição revisada do VOLP ( a atual 5ª edição não resolveu os problemas) e a falta de consenso entre os gramáticos e lexicólogos, continuará usando a ortografia antiga e assim continuará até  o último minuto de 31/12/2012, a menos que, antes desse prazo, todas as dúvidas estejam esclarecidas. E é o que recomendamos a todos.

 

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

2 Comentários

  • Já estou usando a nova ortografia por dever de ofício.

    Creio que seria importante as pessoas começarem a treinar desde já as novas regras, mesmo que o texto fique inicialmente um híbrido da ortografia que passa para a que entra.

    Mesmo porque não vai para pelourinho nenhum quem misturar “ideia” com “infra-estrutura”!

  • Claro, Alceu, ninguém irá ser crucificado por isso. Mas os “textos híbridos” são uma aberração e o acordo não disciplinou bem essa questão. Se até 31/12/2012 é facultativo usar-se ou a antiga ou a nova ortografia, quem escreve, deveria optar: escrever tudo com a antiga ou com a nova. Mas misturar as duas regras num mesmo texto, só porque as duas são (ainda que provisoriamente) igualmente aceitas?!…

    Isto equivaleria a dizer que eu poderia no primeiro parágrafo, por exemplo, escrever “idéia” e no segundo “ideia”. Não, não concordo. Ou se escreve com a ortografia antiga ou com a nova. Ambas, misturadas num mesmo texto, jamais!

    No seu caso, Alceu, como para todos aqueles que escrevem em jornais e revistas que optaram pela nova ortografia, sugiro: use-a SEMPRE, mas no texto inteiro. A não ser assim, vocês só irão confundir as cabeças dos nossos jovens e dificultar o aprendizado e a implantação definitiva do novo acordo ortográfico.

Deixe uma resposta