MINISTRA MARINA SILVA

15/05/2008
by mgomide3

 

 O pedido de demissão da ministra foi, a nosso ver, o último ato de uma luta surda que vinha sendo travada nos bastidores da política. De um lado as forças econômicas, /\razão de ser da vida\/, e de outro a ambientalista Marina Silva, fraca, formal, bem intencionada, ingênua, boazinha, que tentava não contrariar o chefe “Luluzinha, paz e amor”. Esse episódio, para quem acompanha as trapalhadas do Ministério de Meio Ambiente durante esses últimos cinco anos, nos dá visão de qual é a força da economia na estrutura de um país. Isso é apenas uma amostra do que se passa nas ante-salas mundiais da política sob a batuta dos interesses do ganha-ganha. É só lembrar-se daquela heroína canadense que discursou perante os representantes do mundo na Eco 92. Nada aconteceu! Por quê? Simples. A estrutura mundial, construída sobre pilares feitos de moedas não pode ser sacudida por um discurso acusatório sob pena de se desmontar. […]Eles, enxergando apenas os interesses próprios, isto é, dentro de seus objetivos, estão certos. Quanto aos interesses da humanidade e do planeta é que estão errados. Além dessa lição, aprendemos mais uma vez que os ambientalistas, apesar de estarem com a boa causa… a vital causa, ainda estão fracos. Somos derrotados diariamente. É só olharmos ao redor: mais gente, mais automóveis, mais desenvolvimento, mais tecnologia, mais rapidez, mais consumo. Enfim, mais de tudo que é material e MENOS de tudo que é espiritual, como amor, uso do intelecto, justiça, amizade, e tudo o mais que é função da alma.
Esse simples episódio acima comentado ocorreu numa fração do mundo e nos dá outras lições. Vejo, salvo outras interpretações mais sensatas, que a defesa da Natureza somente se dará com ações revolucionárias, incisivas, fortes e determinadas. Quem pode proceder dessa forma? Somente um governo mundial, investido de todo o poder moral e material. Mas tem que ser AGORA, enquanto há tempo. Depois… não adiantará mais.
Esse episódio apenas confirma a necessidade de o planeta ter um governo mundial que cuide de seus interesses ecológicos. Está confirmado. Discutir mais para quê?  
 

 

/\….\/ – Acabei de inventar o sinal de ironia. Não está patenteado. Aproveitem.
 

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

2 Comentários

  • Administrator disse:

    Gomide:

    Você, como sempre, é um observador atento. E temos de estar atentos mesmo, a tudo. Este episódio da demissão da Ministra Marina Silva ainda precisa ser melhor esclarecido. Claro está que ela sofreu pressões no sentido de “não fazer e não complicar as questões ambientais”. Mas que tipo de pressão e partindo de quem? Isso é o que ela deveria ter coragem de tornar público.

    Infelizmente, suponho que por uma questão de “lealdade política ao PT“, ela não irá revelar. Mas deveria. Dane-se a política. Precisamos saber das verdades. Não era muito fã dela pois achava-a muito fraquinha, apesar de bem-intencionada. A explicação da sua aparente fraqueza pode estar nesse episódio que ela não vai ter coragem de revelar, infelizmente. Sairá como saiu o ex-Presidente Jânio Quadros: ” dizendo que sofreu pressões das forças ocultas”, mas sem revelar quais eram essas forças ocultas e a quem serviam. Essas amigo, são as batalhas a que você se referiu, dizendo que as estamos perdendo. E lamentavelmente – pelo menos por enquanto – estamos perdendo mesmo.

    Só começaremos a ganhar, no dia em que as pessoas que militam no meio político tiverem a coragem de denunciar e passar para o nosso lado, ou seja, para o lado que defende a preservação da natureza. Na realidade, o que estamos precisando mesmo é de um mártir ou revolucionário verde, egresso das próprias fileiras políticas e sabendo de todos os podres e de todas as forças que se aglutinam contra o que é racional, no que tange à defesa do meio ambiente. Será que essa pessoa já nasceu? E se já nasceu, o que está faltando para ter coragem de mostrar a sua cara?

  • Antidio Teixeira disse:

    Não tenho dúvida de que, “no ambietalismo de ponta” a Marina teve um papel relevante. Não fará falta porque o Minc poderá dar novo embalo ao Ministério. Mas, quando ele começar a contrariar os interesses do poder para satisfazer os da Natureza, também será frito no óleo da mídia. O que importa mesmo será o movimento popular contra o consumo supérfluo e assim economizar energia de fontes poluidoras para preservar o meio ambiente de todo o mundo. Fertilizem esta ideia.
    Que tenham todos um bom fim-de-semana.
    Antídio

Deixe uma resposta