O DIA D DO CONSUMO

14/05/2008
by mgomide3
   

Recebi do ambientalista Paulo Bastos o seguinte e-mail, muito esclarecedor sobre o câncer do planeta: a civilização atual.

“Como o texto é enorme, vou ressaltar algumas partes aqui e quem quiser acessar, o endereço é http://www.akatu.com.br/central/especiais/2008/o-dia-201cd201d-do-consumo
A cada ano que passa, o consumo da humanidade supera mais rapidamente a capacidade de regeneração do planeta
Em 2007, no dia 6 de outubro, faltando quase três meses para o Reveillon, a humanidade já havia consumido todos os recursos naturais que o planeta seria capaz de repor naquele ano. Como estamos gastando cada vez mais rápido os recursos naturais, esse dia “D” acontece cada vez mais cedo. Em 1987, o ano do primeiro Ecological Debt Day, como é chamado o dia em que a humanidade passa a estar em débito em relação ao meio ambiente, ocorreu no meio de dezembro. Em 1995, ele pulou para o dia 21 de novembro. E no ano passado, chegou à marca histórica de 6 de outubro.
A pegada ecológica permite calcular qual é a área (em hectares) necessária para produzir tudo aquilo que consumimos e, ainda, absorver os resíduos desses processos, em um ano. A conta é feita considerando toda a quantidade de água e de espaço físico necessários para o plantio, pastagem, pesca etc.. Todo esse conjunto é chamado de “biocapacidade” do planeta, ou seja, a habilidade dos sistemas ecológicos de gerar recursos e absorver resíduos em um determinado período.
Em termos globais, hoje, precisaríamos de 1,3 planetas Terra para manter os atuais padrões de consumo, sem comprometer a capacidade de renovação da natureza. Naturalmente, o grande problema é que vamos continuar a ter apenas um, enquanto as demandas de consumo e a própria população não param de crescer. No ano 2000, por exemplo, gastou-se no nosso planeta em compras de produtos ou serviços domésticos, mais de 20 trilhões de dólares, quatro vezes mais do que em 1960, quarenta anos antes. Porém, nesse mesmo período a população da Terra dobrou, o que significa que cada pessoa, em média, passou a consumir duas vezes mais. Não é possível prever até que ponto a Terra será capaz de resistir aos avanços consumistas da humanidade, diz Brooking Gatewood, gerente da Global Footprint Network, responsável pelos cálculos da Pegada Ecológica da Humanidade. […]“Nós não temos uma estimativa de quanto tempo levará até um ‘colapso ecológico’ ou a exaustão da capacidade da Terra de regenerar os recursos. Isso é impossível dizer, mas nós podemos afirmar que nossas analises mostram que, se a humanidade continuar adotando o modelo de desenvolvimento e consumo atuais, nós precisaremos de 2 planetas Terra em 2050, para prover os recursos que demandaremos”, afirma Gatewood.” 

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

1 Comentário

  • Administrator disse:

    Gomide:

    Li seu artigo na íntegra, bem como visitei a página da Akatu, onde ele se encontra publicado. Você mesmo já havia se referido, em outros artigos deste blog, ao termo “pegada ecológica”. E de fato, é uma teoria bastante lógica e interessante e que deveria ser melhor compreendida pela humanidade.

    Aí, meu amigo, mais uma vez, só a mídia poderia ajudar. Será que os nossos jornalistas, em todo o mundo, estão precisando se atualizar ou existe algo mais por trás dessa não atualização? O conceito é facílimo de comprender. Será que eles não enxergam ou não o aceitam? Se não aceitam, poderiam, pelo menos, comentar e explicar por que não concordam. Por que não o fazem? Estaria a imprensa sendo corrompida, servindo a interesses escusos?

    Sei não, amigão, sei não. Seria bom falarmos um pouco mais sobre isso aqui no blog. Conto com a sua ajuda.

Deixe uma resposta