Pode ser um sonho, mas um sonho que terá de se tornar realidade logo, sob pena de, aqui no Brasil, virmos a sofrer sucessivos colapsosTrem-balaSui185x153.jpg no trânsito, em todos os meios de transportes rodoviários, quer sejam locais, intermunicipais ou interestaduais. Basta observar-se o que está acontecendo com o estado das nossas rodoviais e com o trânsito nas grandes capitais. Em São Paulo, já há trechos que são percorridos mais rápidos de bicicleta do que de carro ou ônibus. A mesma coisa no Rio de Janeiro e em algumas outras grandes cidades.

A nós, ao que me parece, só restam os seguintes recursos, a serem praticados em conjunto, o que seria já uma solução para o futuro, enquanto se aguarda que a indústria automobilística mude o padrão dos carros de passeio para um menos poluente e de dimensões menores:

1) Recuperação e manutenção das malhas viárias existentes e construção de outras; 2) construção de anéis rodoviários, comunicando com viadutos elevados; 3) construção de novos sistemas de metrôs; 4) construção de sistemas de comboios de alta velocidades (trens-balas).

Quanto isto vaTrem-bala_Alem.jpgi custar e se teremos recursos? Não sei. Não sou técnico, nem político e não tenho obrigação de saber. Mas “eles”, os governantes, têm essa obrigação. Não só de saber, mas de, efetivamente, encontrarem as soluções que todos nós, cidadãos comuns, somos capazes de enxergar. Não é preciso ser nenhum “expert” em trânsito de cidades para ver isso. Tanto isso é verdade, que o Governo já começou a pensar na possibilidade inicial de um sistema de trens-balas, para o percurso Rio – S. Paulo, que poderia ser executado em 1h 25m. Mas isso seria só início, porque ainda haveria de se fazer muito mais.

Veja a manchete abaixo, extraída do site ipcdigital.com, que confirma o que dissemos:

########################################################    

Publicado em 11/3/2008 12:31:52 

Mitsui Bussan propõe assumir construção de trem-bala no Brasil

O projeto foi elaborado em conjunto com o governo japonês, a ferroviária JR e empresas de construção

Tokyo – ipcdigital.com

**** FIM DA MANCHETE – Clique em ipcdigital.com para ler ****

##########################################

Não sabemos a quantas anda essa negociação nem quanto o projeto custará ao Brasil (isso pode ser pesquisado por vocês – eu não tive paciência). Mas se já tivemos uma […] dívida externa que se julgava impagável e pagamos, podemos obter um financiamento do Banco Mundial ou de um consórcio de bancos internacionais, para pagar em 20 anos, que, neste Trem-balaFr_267x225.jpgcaso, valeria à pena. Note-se que segundo constatado (veja a matéria completa “Comboio de Alta Velocidade“, clicando aqui), só a implementação do trem-bala (sem as outras medidas também necessárias) já seria o suficiente para desafogar o trânsito nas grandes cidades e até nos aeroportos, uma vez que já se provou que em percursos de até 600 km, o trem-bala o executa mais rápidamente até do que o avião (descontados os tempos de locomoção de ida e vinda ao aeroporto, mais o tempo de check-in e o de espera) e com maior conforto e segurança. Portanto, ele absorveria passageiros de outros meios de transporte (nossa aviação também vai mal das pernas) e muitas pessoas iriam preferir o tem-bala aos seus carros, em muitos dos percursos, desafogando as estradas. E sem prejuízo, porque a velocidade-padrão de um trem desses é em torno de 350 km/h (cruzeiro), podendo chegar até os 575,8 km/h, como a do TGV francês.

Países como Japão (o pioneiro), França, Alemanha, China, Espanha, Itália, Portugal e mais recentemente a Coréia do Sul, já adotaram essa solução. Na Coréia do Sul, o último modelo implantado foi o moderno KTX, altamente sofisticado e com controles por computador, à distância, e que desenvolve a velocidade de 380 km/h, dentro de um sistema aberto ao público 24 horas por dia.

Será que um dia vamos chegar nisso ou vocês acham que existem outras soluções mais “baratas” ou mais convenientes?


Technorati : , , , , , , ,
Del.icio.us : , , , , , , ,

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

3 Comentários

  • Administrator disse:

    Informações adicionais sobre a matéria:

    O projeto do trem-bala brasileiro, que se chamará TBB e desenvolverá uma velocidade de 285km/h, no trecho inicial Rio S. Paulo, prevê, para 2009, a abertura da concorrência pública para
    a escolha da(s) empresa(s) construtoras, segundo informações do site do Ministério do Planejamento : http://clipping.planejamento.gov.br/Noticias.asp?NOTCod=360504

    Prevê ainda, o projeto, que a entrada em operação do nosso trem-bala (que substituirá os nossos trens baleados), se dará no ano de 2015. Já muito tarde, muito tarde, se levarmos em consideração que os primeiros trens-balas entraram em operação no início da década de 1990. Portanto, já vamos começar com quase 25 anos de atraso e com uma velocidade de apenas 285 kh/h, quando os de hoje já atingem 580 km/h. Será que não poderíamos iniciar ao menos com 350 km/h? Já que esperamos tanto…

  • skalet jessica ferreira disse:

    muito bom isso ai que eu li

  • Administrator disse:

    Melhor seria se o sonho se concretizasse logo, não é, Jessica?
    Obrigado pela visita. Volte aqui mais vezes para conhecer nossas matérias e pesquisar assuntos.

    Alguns estudantes que frreqüentam o fórum “Café Filosófico Virtual”, do nosso blog, estão começando a migrar para cá.

Deixe uma resposta