A “Grande Tribulação” em Marcha – I

21/04/2008
by Antidio Teixeira

A “Grande Tribulação” em marcha – I

JB – 19/04/08 – FMI: Pior da crise ainda está por vir.

Declaração do Diretor-Gerente, na qual acusa a produção de biocombustíveis a partir da produtos agrícolas que servem para alimentação.

JB – 20/04/08 – Informa que, no Haiti, os pobres estão comendo biscoitos feitos com argila, banha, sal e água; e que, freqüentemente, esta mistura petrifica nos intestinos levando-os às mesas de cirurgia.

O que vocês acham destas notícias?


Technorati : ,

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

2 Comentários

  • Administrator disse:

    Sinceramente, sinceramente? Acho-as meio tendenciosas, suspeitíssimas, principalmente a primeira. Explico:

    Ambas parecem levar a crer que a produção dos biocombustíveis está gerando uma nova crise de alimentos o que, se fosse verdade, seria apenas em parte, no que se refere ao biocombustível americano, produzido a partir do milho. Poderia ser verdade, se a prática fosse disseminada em outros países, mas é um problema apenas local que, por enquanto, ainda numa escala muito pequena e sem qualquer característica de crise, se refletiria em outros países.

    Quanto à fome no Haiti, já é um problema antigo, sem nenhuma conotação com a tal “crise de alimentos” que a mídia agora está querendo inventar e fazer-nos crer que exista. A “crise de alimentos” agora será, por algum tempo, a bola da vez da mídia, tal qual foi ( e ainda é) o “aquecimento global”. Aqui mesmo o Gomide publicou  uma matéria intitulada “O Jornal“, onde mostrava o perigo das informações plantadas. Pois bem, este é um exemplo que bem se aplica. Parece-me serem notícias fabricadas para corroborar uma falsa “crise de alimentos”, provocada pela produção dos biocombustíveis. Nada mais incorreto, pelo menos por enquanto.

    A pergunta é: Quais interesses econômicos e políticos existem por trás da divulgação de tais notícias alarmistas? Já está existindo mesmo a tal crise de alimentos, ou a crise que aí está é a que sempre existiu?

    Parcece-me que existe uma intenção velada de brecar o avanço dos biocombustíveis, afirmando que ele provocará crise de alimentos. Hoje, com o preço do petróleo chegando a U$ 120,00 o barril e eles não querem que se tente combustíveis alternativos? Será que os mentores de tais notícias não sabem que o petróleo é um recurso natural não renovável e que já está chegando ao fim do seu ciclo? Será que não conseguem imaginar que um mundo sem petróleo e sem um ou mais substitutos seria um caos tão grande que poderia paralisar nações inteiras e até provocar guerras?

    Então, uma notícia fabricada como essa seria interessante para muita gente, enquanto detém, por exemplo, o avanço do biocombustível brasileiro, que poderia reverter o quadro ecômico-político mundial, enquanto eles vão ganhando tempo para encontrar suas soluções e não passar o bastão. Se os maiores interessados no biocombustível e os principais produtores fossem os países do 1º mundo, duvido que tais notícias fossem veiculadas.

    A grande tribulação a que se refere o artigo do jornalista Lélis, muito provavelmente virá. Mas não será por causa dos biocombustíveis e sim por aqueles conjuntos de outras causas que todos nós conhecemos.

    Pense nisso, pense nisso!

  • bel disse:

    Pois eu acredito!
    Todo aquele povo,ou se nao a maioria,queridos,estao mergulhados na mais famigerada miseria,desencadeada pelos egoistas donos do mundo!
    E com certeza um bando de racistas preconceituosos,se nao com certeza esse povo nao sofreria todas essas agruras,veja se la na europa onde predomina a raça ariana,ocorre isso!

Deixe uma resposta