Meio Ambiente x Economia

16/01/2009
by Antidio Teixeira

Nota da da Administração: O artigo abaixo, do nosso companheiro Antídio, havia sido publicado, equivocadamente, como "página", o que, segundo a estrutura do blog, não permitiria "comentários", como era a sua intenção. Por isso, desloquei-o para aqui, agora como "post" e apto a receceber comentários. Segue o texto:

Amigos:

Enviei esta nota para a Seção de Cartas de alguns jornais. Opinem, por favor.

***********************************************************

Em julho p.p., postei exemplares de uma Cartilha Ambiental Popular para o Presidente Lula, que acusou o recebimento e agradeceu, e para o Ministro Carlos Minc. Ela, em linguagem simples, aponta e demonstra […]porque e como ocorreu desenvolvimento sócio-econômico no mundo, tendo como elemento propulsor a energia liberada de combustíveis fósseis, as conseqüências do acúmulo de óxidos de carbono na atmosfera e, também, o crescimento da bolha financeira e inflacionária mundial, ora quebrada. Demonstra, ainda, a impossibilidade de se dar continuidade ao uso dos mesmos combustíveis, uma vez que, tanto mais carbono não reciclável seja lançado na atmosfera, maiores serão as catástrofes ambientais; e os prejuízos causados por elas, rateados pela economia globalizada, vêm debilitando-a cada vez mais. Tentar salvar o sistema com injeção de recursos governamentais, do povo portanto, será como abraçar o afogado; nos afogaremos todos juntos.

Presidente Lula: tenho certeza de que o caminho da nossa salvação e dos demais povos, não será o da preservação de empregos em atividades que alimentam o consumismo e a conseqüente degradação ambiental; mas, a criação de outros novos nas áreas de geração de energias alternativas como solar, eólia, reflorestamento para fins energéticos, biocombustíveis, incluindo a biodigestão tão útil à salubridade social e a fertilização agrícola natural. A humanidade de amanhã lhe agradecerá.
Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

9 Comentários

  • Ivo:
    Grato pela sua eficiência administrativa. Que tenha bom fim-de-semana é o que lhe desejo.
    Abraços.

  • mgomide3 disse:

    Caro batalhador Antídio,

    Parabéns pelos seus esforços no sentido de externar seu legítimo pensamento aos responsáveis diretos pelas ações administrativas do Brasil.
    É de pessoas corajosas como você que a situação está exigindo. Espero que o governo possa repensar as atitudes equivocadas que vem tomando até o momento.
    O indomável Ivo também tem clamado aos responsáveis no Brasil sobre assuntos de interesse da nação.
    Eu, da minha parte, defendendo a tese de governo mundial, sugeri a embaixadores de vinte países, inclusive ao Sr. Ministro de Relações Exteriores do Brasil, que examinassem o assunto.
    É isso mesmo. Fazemos a nossa parte de defensores do planeta, como obrigação para com o mãe Terra.

  • Antídio:

    Parabéns pela corajosa iniciativa. É assim mesmo que se procede. Acho que ajuda, mas não adianta se ficarmos apenas expondo nossas opiniões em blogs e sites opinativos e de notíicias, na Internet. É preciso, por vezes, tentar atingir o alvo diretamente, através do contacto. Os blogs, pela sua forma de estruturação e facilidade, são os nascedouros das idéias que, depois de nascidas (ou paridas), devem seguir outros caminhos.

    Cada um à sua maneira, alguns de nós, como você, o Gomide e eu, temos feito a nossa parte. Mas seria preciso que todos os que eventualmente nos lêem fizessem o mesmo. Se as caixas de entrada de deputados, senadores e ministros ficassem entupidas de emails de protestos e sugestões, duvido que não se conseguisse influenciar suas decisões e promover mudanças.

    Talvez seja o caso de fazermos isso coletivamente. Pensem e sugiram!

    Sobre o “Governo Mundial para Assuntos Ambientais“, aqui vai a minha sugestão:

    Que tal redigirmos a 6 ou mais mãos (Gomide x Antídio x Ivo x …) um documento único, traduzido para o Inglês, expondo os detalhes da idéia e os benefícios advindos da sua implantação? A coisa funcionaria mais ou menos assim, inicialmente, sempre através de troca de emails, porque na fase de estudos não pode ser exposta em blogs:

    Fase 1: Cada um de nós elaboraria uma minuta, em Português, de como seria a petição a ser enviada aos embaixadores e à ONU;
    Fase 2: Depois que as trocas de textos fossem feitas (cada um de nós estaria com 3 exemplares). Em seguida, isoladamente, tentaríamos fundir os textos de cada colaborador em um documento único (ainda em Português). Neste caso, teríamos 3 versões.
    Fase 3: Entre nós, discutiríamos e aprovaríamos um único documento (fusão das sugestões de todos nós). A redação final, seria ainda em Português.
    Fase 4: Uma vez aprovada, faríamos uma versão bilingüe (Inglês-Português) e colocaríamos na Internet (Petion on Line) para colher assinaturas de apoio.
    Fase 5: Com o documento no ar, enviaríamos o original deles, apenas com as assinaturas dos idealizadores (nossas 3 ou mais) aos destinatários (Embaixadores e ONU), avisando que o documento se encontra na Internet para colher assinaturas de apoio.
    Fase 6: Gerenciamento e acompanhamento das reações (esta sim, seria a fase mais trabalhosa e difícil).

    Poderíamos também criar uma rede social exclusivamente para discutir o projeto e colher sugestões, de qualquer parte do mundo. Pena que as que conheço só funcionem em uma língua pré-escolhida. Precisaríamos de uma só, com tradução automática para vários idiomas, O chato é que essas traduções são de péssima qualidade (quebra-galho). Talvez este seja um segundo passo bastante viável e, nesse sentido, eu tenho algumas idéias que poderiam ajudar e já rapidamente ser colocada em prática.

    Parabéns, também, ao incansável e idealista Gomide. Foi uma grande idéia contactar os embaixadores.

    Como pediu o Antídio, opinem!

  • Em tempo: Gomide, apenas por curiosidade, responda: Você recebeu alguma resposta de qualquer embaixador? E dos senadores, alguma? E dos ministros, alguma? E dos deputados federais? Provavelmente, não, e se recebeu, foi uma daquelas “respostas automáticas das assessorias”, as únicas que eles mandam e depois silenciam. Comigo, quando consigo receber, é só isso o que vem. Recebi também uma resposta do Gabinete da Presidência da República (a única deste gabinete) mas daquelas “automáticas” e que não teve prosseguimento. Idem, idem, quando “consigo receber” de algum político. Somos ainda muito pequenos e fraquinhos para que nos dêem atenção. Precisamos de um apoio forte. O Antídio até teve mais sorte do que nós.

    Vou tentar um apoio junto ao Greenpeace, que contactou-nos recentemente, a propósito de uma de nossas matérias. Estou, mais uma vez, aguardando resposta.

    Sobre as redes sociais, vi em algum lugar da internet, que não me lembro onde, uma idéia de um que conseguiu contornar essa situação.

    O idealizador criou a rede, em Inglês, sua língua nativa, e depois selecionou “correspondentes” (representantes) em vários países. Era alguma coisa relacionada à qualidade de vida, na área de alimentação, bem-estar espiritual e saúde física e mental. Recordo-me de que ele estava representado na Itália, França, Alemanha, Portugal e até aqui no Brasil. Essas redes, que na verdade eram a mesma, trocavam informações entre si e todas as assinaturas colhidas eram contabilizadas como se fossem as de uma única petição, já que ela estava traduzida em vários idiomas. Talvez o mais difícil dessa idéia seja achar o “correspondente” certo. Se tivéssemos um Greenpeace conosco, poderíamos usar os correspondentes deles, em sua rede mundial.

    Uma outra idéia, talvez um pouco mais fácil (mas apenas na fase inicial), seria criar um agregador de blogs verdes. Todas seriam úteis, mas, para o nosso propósito, acho que este nosso blog, como ponto de partida, e mais uma rede social para o “governo mundial ambiental” seriam suficientes. Por favor, ajudem-me a amadurecer esta idéia! (Enquanto ainda não perdi a empolgação e não joguei a toalha)

  • mgomide3 disse:

    Caro Ivo,
    Como já comentei no artigo sobre os senadores, recebi apenas 2 respostas automáticas. O terceiro, não deu resposta nenhuma, mas incluiu o meu endereço para receber spam político do próprio senador. Ora, ora!
    Quanto aos 20 embaixadores, nenhum retorno. Pior é que o nosso ministro também não se manifestou.
    Quanto à sua idéia sobre governo mundial para assuntos ambientais, devo dizer que, conforme já lhe havia manifestado, estou elaborando um estudo sobre o assunto. Tão breve fique pronto, vou-lhe mandar o texto para sua apreciação e/ou acréscimos. Ele, talvez, sirva de base para o que você ideou, mas – isso é importante – desde que alcance expressivo apoio entre os colaboradores deste blog.

  • Caro amigo Gomide:

    Como você bem sabe, “não basta o expressivo apoio dos colaboradores deste blog”. É preciso mais, muito mais. Este blog pode, quando muito, ser utilizado como porto de chegada e de partida. Nossa visibilidade ainda é pequena e podemos demorar ainda alguns pares de anos até termos a dimensão e o reconhecimento que desejamos.

    Por isso, temos de nos antecipar (você mesmo não disse que quase já não temos tempo?) e procurar outros meios de apoio. Se eu tiver uma resposta favorável do Greenpeace, – em quem ‘ainda’ acredito -, isto já será um grande passo.

    Quanto a mim, vou, agora, fustigar o Ministro da Defesa e os das Forças Armadas, tanto em relação às nossas questões internas como as com implicações internacionais. Vou também fustigar o Itamaraty e outros ministros do STF, à medida que for tendo tempo. É isso que queria que todos nós fizéssemos, SEM MEDO, até que o nosso projeto se torne realidade. Não podemos ficar parados, esperando que ele se viabilize. Quanto tempo isso pode demorar? Até lá, se nada mais for feito, poderemos perder nossas florestas, nossas riquezas naturais, parte da nossa biodiversidade, nossos territórios e nossa soberania.

    Precisamos de campanhas, Gomide. Campanhas, barulho, listas de apoio, correntes, divulgação, enfim, todas essas armas. que cada um de nós traga mais um e este outro mais um. Não foi assim que as “missões religiosas” fizeram?

    É o que penso.
    ——————————————-
    Recebi um comentário de um Izidro Simões. É o nosso Izidro? (Veja no artigo sobre as Forças Armadas)

  • Amigos Gomide/Ivo e demais Leitores:
    O envio desta nota à imprensa, tem o seguinte objetivo: “mandei exemplares da Cartilha para diversos políticos e universidades”; e, é claro como vocês mesmos sabem: ninguém lê. Os assessores se encarregam de arquivar, quando não encaminham para o lixo. Como nela existe uma previsão da inviabilidade de continuidade do capitalismo, e logo depois ter estourado a “bolha financeira”, se algum jornal, especialmente de Brasília, publicar a nota, muitos políticos terão interesse em conhecê-la e, deverão cobrar de seus assessores. Assim espero.

    Não tenho manifestado interesse por outros assuntos focados porque entendo que, o sucesso de qualquer outra meta perseguida, dependerá da redução do consumo energético no mundo; ou seja: redução gradativa do uso e consumo de bens e serviços que puderem ser dispensados pelos próprios consumidores e usuários, uma vez conscientizados da gravidade do problema ambiental, como um todo. O alvo das ações iniciais, poderá ser crianças e jovens, os que serão mais prejudicados, e que poderão cobrar dos pais e de outros mais velhos esta consciência. Investir neste filão, acredito que ficaremos mais perto do sucesso do que diversificando a atenção do mundo para centenas de efeitos colaterais de uma mesma causa. Por ter certeza de que este é o melhor caminho para direcionar este blog , faço a sugestão ao Capitão Ivo.
    Forte abraço

  • Caro Antídio:

    A nós, ambientalistas profissionais, por vocação ou de coração, qualquer proposta que seja para melhorar a qualidade de vida da humanidade e preservar o planeta é bem-vinda. Aminha preocupação e a do Gomide (e acho que também a sua) é com o TEMPO. NÃO PODEMOS ESPERAR MUITO E FAZER COISAS A LONGO PRAZO.

    Eu, particularmente, tenho preferência por soluções e ações que sejam mais imediatas e demandem menos tempo. Em apenas 1 aninho os criminosos ambientais destroem mais do que poderemos consertar em dez anos.

    Tipifique com um pouco mais de detalhes a sua idéia e tentaremos conciliá-las com as nossas. Aliás, saiba que estamos contando com você para desencadearmos uma campanha QUE ATAQUE POR TODAS AS FRENTES, no caso, a que você sugere, mais as nossas.

    Aguardamos suas explicaçoes.

  • Ivo:
    Minha sugestão é que façamos uma exposição da real situação do planeta, porque e como chegamos a ela levada por interesses financeiros globais, e que acabam de ruir; e a inviabilidade da humanidade dar continuidade a aberração sócio-não-econômica que os poderosos apontaram à humanidade visando interesses próprios, e predatórios para as condições ambientais. A abertura poderia ser este esclarecedor artigo do GG sobre o desenvolvimento sustentável. Nós poderíamos acrescentar outros pontos de vista e, traduzido para outras linguas, imprimir em gráficas e remetê-lo, via correios para ambientalistas fieis e órgãos de comunicação social em todo o mundo, além dos acessos pela internet. Criando uma ampla base de opinião social, especialmente nos setores educacionais, tenho certeza de que as autoridades ouvirão nossas denúncias. “Será a nossa parte”.
    Que tenha uma boa semana.

Deixe uma resposta