COPA DAS ÁRVORES

02/02/2008
by mgomide3

     
      
       Eu acho que, da mesma forma que há  campeonatos mundiais, continentais, nacionais, regionais e locais de diversos tipos de esporte e arte, durante praticamente todo o ano, também deveriam ser estabelecidos certames na prática de corte de árvores.   
      Sugiro que sejam estabelecidos campeonatos em diversas categorias, classificações e modalidades, tais como: para seniores e juniores; para profissionais e amadores; com machado, grupião,  motosserra, trator de esteira e parelha de trator-corrente.
      A copa oficial, segundo critérios e regulamentos a ser estabelecidos por uma comissão permanente internacional, custeada pelos governos filiados que ainda possuem florestas, seria […]realizada de 4 em 4 anos, da mesma forma como outros certames internacionais. Entrementes, cada país participante providenciaria treinamentos e formação de profissionais, visando alcançar vitórias nas competições, ao tempo em que estariam glorificando os mais qualificados, elevando-os à posição de heróis. Seriam promovidas, com o estímulo dos governantes e através do Ministério a ser criado, campeonatos locais, regionais e nacionais.
      Os órgãos internacionais de incentivo à cultura se disporiam a contribuir com elevadas somas para o completo êxito das disputas. Os grandes aglomerados da indústria e comércio mundiais fariam também generosas contribuições, à guisa de publicidade. Os órgãos de divulgação, como as emissoras de rádio, televisão e jornais, editariam extensos e constantes informativos das atividades, inclusive inserindo novas palavras, a ser criadas exclusivamente para o trato de tão estimulante esporte, de tal forma que o povo fosse mobilizado emocionalmente e tivesse sua atenção sempre dirigida para os assuntos pertinentes a essa prática esportiva.
      Os participantes que se revelassem mais dinâmicos e habilidosos no corte de árvores, seriam estimulados a ingressar em uma federação de profissionais, obtendo o direito de receber elevados ordenados e de ser deificados nos espaços nobres da mídia.
      Na disputa, seria apontado campeão aquele que conseguisse cortar o maior número de árvores no menor tempo possível, dentro de cada categoria. As árvores seriam medidas e cubadas por uma comissão de juizes. E todo esse procedimento seria acompanhado pelos torcedores, através da televisão, naturalmente com o patrocínio publicitário dos fabricantes de motosserras, tratores e maconha, digo, cigarros e bebidas.
      Nesse campeonato mundial, os certames seriam classificados pelo grau de dificuldade da destruição de árvores grandes, médias, pequenas e até arbustos.
      O objetivo final é conseguir-se um grande espetáculo, com a participação maciça da população, quando serão consagrados os campeões mundiais de derrubada de árvores. E poderíamos consagrar ao deus Nada a apoteótica manifestação de ódio à Vida.
      Ninguém contesta a realidade de que é menos doloroso o suicídio do planeta quando feito com festas e alegrias.
      Ademais, quem entende de suicídio sabe: quanto mais rápido, melhor.
                   

Blogger PostBookmark/FavoritesDiggEmailFacebookGoogle GmailGoogle+LinkedInPrintFriendlyTwitterYahoo MaildiHITTShare

1 Comentário

  • Administrator disse:

    Bela e bem-humorada crônica satírica, recheada de humor negro, mas com um recado claro.

    Já que estamos falando de “humor sério” em assuntos ecológicos, vou propor também, com um trocadilho, um outro tipo de competição: “A COPA DA COPA DAS ÁRVORES“.

    MODALIDADE 1 – Ganha o troféu a cidade que conseguir manter por mais tempo e por hectare, a maior quantidade de copas de árvores em pé. Período de avaliação: 3 anos;

    MODALIDADE 2 – Ganha a cidade que tiver o maior nº relativo de copas de árvores por hectare. A relação quantidades de copas de árvores/área total do município manterá a relatividade e a igualdade de condições dos competidores. Assim, não importa se o município concorrente é grande ou pequeno. As chances e critérios de aferição são os mesmos.

    PRÊMIO: Alguns milhões em recursos do Governo Federal, para obras no município vencedor. Divulgação da cidade na propaganda oficial do Governo, durante 6 meses, em jornais, rádios, revistas, e nos horários nobres da TV; implantação de infra-estrutura turística. Construção da “Escola da Cidania“, com alto padrão de qualidade e capacidade para 4.000 alunos, com direito à gratuidade do ensino fundamental (critérios de seleção a serem estabelecidos).

    Que tal também esta copinha?

Deixe uma resposta